O passado ainda guarda milhares de segredos que a humanidade tenta desvendar. Você já deve ter ouvido falar de círculos de pedras, como em Stonehenge, não é mesmo? Algo semelhante existe em lugares como a Austrália e até no Acre. Menos famosos são os chamados Grandes Círculos da Jordânia, que apenas há pouco tempo começaram a ser estudados.

Essas formações foram descobertas em 1920, por um piloto britânico chamado Lionel Rees, que fotografou os círculos. Rees foi um dos pioneiros da fotografia aérea de grandes monumentos e ficou fascinado com o que ele encontrou na Jordânia: 11 estruturas quase perfeitamente esféricas com até 455 metros de diâmetro. Também já foram descobertos dois círculos semelhantes na Turquia e mais um na Síria.

Estranhamente, a comunidade científica não deu muita bola para essa descoberta. Por mais de 60 anos, pouco se pesquisou sobre as origens dessas formações. O arqueólogo David Kennedy disse ao Washington Post que apenas nos últimos anos foram iniciados os mapeamentos desses lugares e a busca por novas estruturas. Para Kennedy, essas formações não devem ser uma civilização muito antiga, mas de alguma cultura mais recente e sem explicação ainda conhecida.

Mapa mostra localização dos círculos descobertos na Jordânia e na Síria

Origem desconhecida

Os círculos possuem paredes baixas, feitas de pedras, e medem entre 220 e 455 metros de diâmetro. Originalmente, essas estruturas não possuíam qualquer forma de entrada, ou seja, os círculos eram fechados. Com o passar do tempo, entretanto, algumas partes das paredes desmoronaram, mas ainda é possível notar sua formação.

Acredita-se que eles tenham no mínimo 2 mil anos de idade, já que estradas do período do Império Romano cortam algumas das estruturas. Só que essa datação pode ser muito mais antiga, com os pesquisadores ainda trabalhando em sua origem e finalidade. Na região, estruturas semelhantes eram usadas para o confinamento de gado, porém, esses sítios arqueológicos possuem paredes muito baixas para isso – sem contar que não teriam por que ser tão simétricos.

Outro detalhe curioso é que esses círculos surgiram nos mais variados terrenos dessa região do Oriente Médio: no deserto, em solo escarpado e em colinas. O círculo sírio foi descoberto apenas em 2002 e fica a cerca de 300 km dos achados na Jordânia, por isso é possível que ainda existam mais a ser descobertos. 

***

O Mega está concorrendo ao Prêmio Influenciadores Digitais, e você pode nos ajudar a sermos bicampeões! Clique aqui e descubra como. Aproveite para nos seguir no Instagram e se inscreva em nosso canal no YouTube.