Se os crocodilos atuais já são criaturas com as quais ninguém gostaria de encontrar por acidente durante um passeio, imagine só se você se deparasse com um exemplar que, além de ser capaz de caminhar sobre duas patas, tivesse mais de 2,7 metros de altura e uma coleção de “dentinhos” tão afiados quanto facas! Pois de acordo com Li Zhou, do Smithsonian.com, você correria esse risco se tivesse vivido há 230 milhões de anos.

Segundo Zhou, essa monstruosidade foi descrita em um estudo apresentado por pesquisadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte e, conforme explicaram, se trata de um dos maiores e mais antigos ancestrais dos crocodilos já descobertos no mundo. O animal — batizado como Carnufex carolinensis — foi apelidado carinhosamente de “Açougueiro da Carolina” e perambulava pelo planeta antes de os dinossauros surgirem.

Crocodilão

Os ossos do crocodilo foram descobertos há cerca de 14 anos em uma pedreira localizada na Carolina do Norte, nos EUA, mas ainda não haviam sido analisados detalhadamente. Isso porque o crânio do C. carolinensis possui uma série de ondulações e sulcos que o tornam diferente de qualquer outro crânio já encontrado, e os paleontólogos só foram capazes de recriar a aparência do animal graças a uma reconstrução tridimensional feita por computador.

Os pesquisadores acreditam que o “crocodilão” era um dos grandes predadores de sua época, já que os demais crocodilos que coexistiam com ele eram muito menores. O animal tinha um crânio alongado equipado com dezenas de dentes afiados que permitiam que ele rasgasse a carne de suas presas e triturasse seus ossos.

Além disso, a reconstrução revelou que as patas dianteiras não só eram mais curtas do que as traseiras, como eram curtas demais em comparação com a cabeça, levando os pesquisadores a deduzir que o C. carolinensis caminhava sobre duas patas. Em outras palavras, o “Açougueiro da Carolina” perambulava por aí como se fosse um Tiranossauro Rex.

O C. carolinensis habitou a região que hoje corresponde ao sul dos EUA, na época em que o supercontinente Pangeia começou a se fragmentar. Os paleontólogos acreditam que o animal tenha desaparecido durante uma das grandes extinções que assolaram a Terra e, conforme explicaram, sua identificação altera a forma como a evolução dos crocodilos é compreendida pelos cientistas, já que o fóssil indica que os ancestrais desses répteis surgiram antes do que se pensava.