A Polícia Civil do Acre encontrou contratos assinados na casa de dois amigos de Bruno Borges, o jovem que sumiu no Acre no dia 27 de março. Os contratos destinavam a renda da venda de 14 livros assinados por Bruno aos amigos. O TecMundo, anteriormente, adiantou a informação de hackers que estavam descodificando as mensagens deixados pelo jovem, e você pode refrescar a memória entrando neste link.

A Polícia encontrou contratos destinando parte da renda de vendas para amigos de Bruno

De acordo com o G1, o delegado Alcino Júnior cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa de Marcelo Ferreira, um dos amigos de Bruno. Por lá que a Polícia encontrou contratos destinando parte da renda de vendas para amigos (Ferreira, Mário Gaiote e um primo chamado Eduardo Borges). Ao site, Júnior comentou que Ferreira omitiu essa informação anteriormente, o que o levou a prisão.

"Ele (Marcelo Ferreira) mentiu e omitiu informações na primeira vez que foi ouvido a respeito do caso do desaparecimento do Bruno. Inclusive, ele foi responsável por retirar a cama e o rack do quarto do Bruno. Ele foi conduzido até a delegacia para ser ouvido novamente, mas, no momento, ele está preso”, disse Alcino Júnior. Ferreira foi solto na tarde desta quinta-feira (01).

Tudo indica que a Polícia Civil do Acre está bem próxima de um desfecho

"Marcelo ajudou o Bruno em tudo, na logística toda. Eles [Ferreira e Gaiote] falavam que, com a divulgação em nível nacional, ficariam ricos, que tinham uma porcentagem, o que acabou ficando comprovado na apreensão dos contratos. Era planejada a parte de produção e posterior publicação dos livros”, afirmou o delegado.

Tudo indica que a Polícia Civil do Acre está bem próxima de um desfecho para um dos casos que mais viralizaram na internet nos últimos meses. As investigações continuam, porém, se você quiser relembrar todo o caso, acesse aqui.

Via TecMundo.