Uma das coisas mais chatas do mundo é o soluço. Aquela crise que não passa nunca e você tentando diversas técnicas, mandingas, promessas e superstições para ela acabar e nada resolve, não é mesmo? E o medo de entrar para o Guinness como a pessoa que soluça a mais tempo, você já sentiu? Tem gente que já ficou mais de CINCO ANOS soluçando!

Os soluços acontecem com contrações involuntárias do diafragma, que força a entrada de ar no pulmão e “tampa” a sua garganta com a glote, produzindo o som irritante. Você pode tentar levar um susto, beber água de ponta cabeça, pular em um pé só, trancar a respiração ou qualquer outra técnica absurda, mas dificilmente o soluço vai parar com isso: ele sumirá naturalmente.

Entretanto, outra técnica pouca conhecida promete sanar esse problema de uma vez por todas. E envolve uma massagem. Delicioso, hein? Bem, se você curtir um “fio-terra”, pode ser que a massagem seja realmente prazerosa – além de trazer o alívio para o soluço.

"Problemas de soluço? Eu tenho a cura"

“Você pode me dar uma mãozinha?”

Um homem de 60 anos estava sofrendo de pancreatite aguda e precisou ser entubado. Com isso, os soluços começaram. Tiraram o tubo e nada da crise parar ou diminuir. Até mesmo os enfermeiros tentaram soluções caseiras como ingerir açúcar e nem assim os soluços pararam.

Dois dias depois, a crise de soluços ainda continuava e o cara precisou passar por um exame de rotina: aquele que todo homem precisa fazer depois dos 50 anos para prevenir o câncer de próstata. Sim, falamos do toque retal. Ao enfiar um dedinho no reto do cara, uma surpresa: o soluço parou!

Milagre! Porém, nem tanto: os soluços voltaram horas depois. Tentaram novamente a técnica do dedinho, mas desta vez também fizeram uma massagem em todo o esfíncter do cara. E os soluços novamente pararam.

"Quer uma ajuda?"

Explicação científica

Os médicos acreditam que as crises de soluço do homem acima foram causadas por disfunções nos nervos vago e frênico. O primeiro faz parte do sistema nervoso parassimpático, que controla as situações de calma em nosso corpo. Já o segundo está diretamente relacionado aos movimentos do diafragma.

A estimulação retal pode “estimular” o nervo vago e se ele estiver com algum descontrole e causando o soluço, pode ser uma solução inusitada para os soluços. Os médicos responsáveis por essa descoberta inclusive indicam esse “tratamento” nada ortodoxo antes de procurar os serviços de saúde.

A pesquisa que chegou a essa conclusão foi publicada em 1990 (!) e foi comandada pelos médicos M. Odeh, H. Bassan e A. Olive. Como que até hoje ainda não se popularizou essa prática?

***

E você, caro leitor, vai continuar tomando água de ponta cabeça ou vai arriscar essa nova maneira de curar um soluço?