Fonte: Thinkstock

Feriados e comemorações sempre são cercados de comidas típicas deliciosas e quase sempre calóricas. Na Páscoa não é diferente, sendo que ainda possui a tradição tentadora dos ovos de chocolate, que nos fazem sair da dieta de forma irresistível.

O grande consumo de chocolate pode acarretar problemas ainda maiores do que o ganho de peso. “Por conter gordura saturada, o chocolate pode contribuir para o aumento dos níveis de colesterol. E pelo teor de açúcar, pode piorar aspecto de celulite, acelerar envelhecimento cutâneo e ainda pode elevar a glicemia, aumentando a incidência do desenvolvimento de diabetes em pessoas predispostas”, afirma a nutricionista especialista em Nutrição Esportiva Funcional, Priscila Di Ciero.

Se você aproveitou bastante o festival de cacau no feriado e está se sentindo mais pesada, inchada e sem disposição, é possível que você esteja precisando de uma desintoxicação de emergência para voltar a ficar com tudo em cima, com mais pique para o dia a dia e ainda perder os quilinhos que você possa ter adquirido na Páscoa.

O que comer e o que evitar

Fonte: Thinkstock

Segundo a nutricionista, e especialista em Nutrição Aplicada à Estética, Aline Nascimento, o detox prioriza o consumo de alimentos nutritivos, como os vegetais, que ajudam a eliminar de forma natural as toxinas e outras substâncias prejudiciais ao organismo.

O detox também é muito importante para hidratar o corpo, repor sais e vitaminas, e ainda melhorar o funcionamento do intestino e dos rins.

Seguir uma alimentação equilibrada também promove uma melhora na pele, que pode ficar prejudicada com o excesso de chocolate que possui alto teor de gordura.

A nutricionista Aline Nascimento também afirma que para iniciar a dieta de detoxificação não basta apenas inserir alimentos naturais, como também é importante eliminar nessa fase itens de alto poder alergênico como os açúcares, laticínios, farinhas refinadas, glúten e opções que possuam muitos corantes e aditivos.

Além deles, o álcool e as frituras também devem ficar de fora da dieta nesse período “purificador” do organismo. Outro alimento que você deve deixar de lado nesse período é a carne vermelha, que pode pesar no estômago e prejudicar a desintoxicação. Dê preferência às carnes brancas como peixe e filé de frango, que são mais leves e de digestão mais fácil. Fique longe também da cafeína, dos alimentos industrializados, que contêm muito sódio, e dos embutidos.

Na hora de escolher as frutas, verduras e legumes que farão parte do seu cardápio detox, Aline Nascimento recomenda que você dê preferência às versões orgânicas, que são livres de agrotóxicos e, por isso, ainda mais saudáveis. Saladas bem coloridas são as mais indicadas, mas se o tempo estiver friozinho, que tal uma sopa de legumes bem leve para esquentar?

Fonte: Thinkstock

E, lembre-se, quando for preparar os seus pratos com esses alimentos, não exagere no sal, pois ele causa retenção de líquidos, deixando você mais inchada. Assim, para dar mais sabor a eles, opte por temperos como o alho, cebola, cebolinha, salsa, alecrim e cúrcuma.

Os carboidratos são liberados, mas nas versões integrais, que são mais nutritivos e saciam mais rapidamente. Deixe o consumo desses itens para o café da manhã a fim de gerar energia para a jornada diária.

Hidrate-se bem

O consumo de líquidos é muito importante na dieta detox, proporcionando uma boa hidratação do corpo e ajudando na eliminação das toxinas. Deve-se dar preferência às bebidas mais naturais possíveis, portanto, fique longe dos refrigerantes, mesmo das versões light e diet. Beba bastante água, chás de ervas, sucos naturais e água de coco.

Fonte: Thinkstock

Os chás, aliás, são ótimos aliados para o detox pós-Páscoa, pois, além de hidratar o corpo, eles possuem substâncias antioxidantes. A nutricionista Priscila Di Ciero indica o consumo de chá verde, chá branco, chá vermelho, hibisco, chá de quebra pedra, canela e gengibre.

Esse período de desintoxicação pode ser feito após os exageros dos feriados e férias. A nutricionista Priscila indica aos seus clientes que o detox seja feito de uma a quatro semanas pelo menos uma vez por ano.

Porém, isso vai depender da necessidade de cada pessoa. Portanto, mesmo tendo dicas importantes como você conferiu aqui, é sempre recomendado consultar um profissional de nutrição, que irá avaliar os seus hábitos e formular um cardápio específico para você.

Além das dicas de alimentação, é importante manter a frequência na atividade física, dando prioridade para exercícios aeróbicos como caminhada, corrida e bike, que irão ajudar na liberação das toxinas, na diminuição do inchaço e na perda de peso.