Você certamente já ouviu falar a respeito dos sete pecados capitais — gula, avareza, luxúria, ira, inveja, preguiça e soberba —, certo? Apesar de não constarem na Bíblia em sua forma atual (pode procurar!), eles se tornaram superfamosos e ficaram conhecidos como as transgressões mais graves que podemos cometer. O que nem todo mundo sabe é que, no século 16, um jesuíta e teólogo alemão chamado Peter Binsfeld designou uma entidade maligna para cada um dos sete pecados.

Binsfeld também era demonólogo e chegou a escrever a obra Tractat Von Bekanntnus der Zauberer vnd Hexen — Tratado sobre a Confissão de Feiticeiros e Bruxas —, onde ele discute as declarações de supostas bruxas e argumenta que a tortura não afetava a veracidade do que elas diziam. Mas, voltando aos demônios, o teólogo acreditava que, por serem a personificação do mal, eram eles que induziam os humanos a cometer pecados. Veja a classificação dele a seguir:

1 – Gula

Entidade maligna: Belzebu

Belzebu, esse velho conhecido de todo mundo, é um dos sete príncipes do inferno segundo o catolicismo. Ele também é conhecido como “Senhor das Moscas e da Pestilência”, apelido que teria surgido graças aos hebreus — que zombavam das oferendas que os idólatras faziam na forma de sacrifícios e que se enchiam de moscas conforme a carne começava a apodrecer.

2 – Avareza

Entidade maligna: Mammon

Outro príncipe do inferno, Mammon — palavra em hebraico que pode ser traduzida como dinheiro, riqueza ou tesouro — geralmente é representado na forma de uma criatura deformada rodeada por moedas. Portanto, não foi à toa que ele foi designado por Binsfeld como o demônio da avareza.

3 – Luxúria

Entidade maligna: Asmodeus

Representado como um ser alado de três cabeças — uma de touro, uma de carneiro e uma de um homem com hálito de fogo —, Asmodeus é mencionado no Antigo Testamento e também no Talmude, livro sagrado que reúne discussões sobre lei, ética, costumes e história do judaísmo. Em uma das lendas, essa entidade se torna amante de Lilith (que, segundo a fé hebraica, teria sido esposa de Adão antes de Eva) e tem uma porção de demoniozinhos com ela.

4 – Ira

Entidade maligna: Satanás

Como você sabe, Satanás — ou Satã — é a personificação do mal para as religiões monoteístas que existem no mundo, e seu nome é originário da palavra hebraica Satan, cuja tradução significa “adversário” e deriva do conceito de “ser hostil”.

5 – Inveja

Entidade maligna: Leviatã

Quem primeiro associou esse demônio à inveja foi Santo Tomás de Aquino e, de acordo com o Antigo Testamento e a Tanakh — um conjunto de livros sagrados do judaísmo —, Leviatã é um demônio que adota a forma de um assustador monstro marinho. Aliás, ele possivelmente seja reencarnação da serpente que tentou Adão e Eva no paraíso.

6 – Preguiça

Entidade maligna: Belphegor

De acordo com o teólogo alemão, Belphegor, a personificação da preguiça, atenta a humanidade através da ociosidade, atraindo os fracos com a possibilidade de enriquecer sem esforço. Geralmente, esse demônio é representado como uma besta barbuda que fica constantemente prostrada.

7 – Soberba

Entidade maligna: Lúcifer

O nome Lúcifer significa “Portador da Luz” e já foi usado em referência ao planeta Vênus — que aparece no céu noturno e “cai” conforme a noite avança. Trata-se de um anjo de grande beleza e sabedoria que, por conta de sua extraordinária soberba, foi expulso do paraíso e enviado ao inferno. Escolha óbvia para personificar esse pecado capital, né?

***

Você sabia que o Mega Curioso também está no Instagram? Clique aqui para nos seguir e ficar por dentro de curiosidades exclusivas!