1 – Quando seu corpo não tem carboidratos para digerir, ele começa a queimar gordura

Reduzir a ingestão de carboidratos significa diminuir significativamente a quantidade de calorias que você consome diariamente. Essa mudança faz com que seu corpo acabe queimando aquela gordurinha que está armazenada, para que ele tenha energia para trabalhar. É uma coisa meio lógica isso tudo: se você dá menos “combustível” para o seu “motor”, ele vai acabar usando aquele que está reservado.

Se a sua meta é perder peso, a dica é fazer alguma atividade física pela manhã, já que essa é uma forma de forçar seu corpo a queimar a gordura armazenada.

2 – Sua fome fica menor

É difícil acreditar que diminuir a quantidade de comida vai fazer com que você fique com menos fome, por isso é preciso entender como esse processo acontece. Não são as calorias que saciam a sua fome – são os nutrientes. Fibras, proteínas e gorduras saudáveis são ótimos para isso.

Agora, se você consome muitos alimentos ricos em calorias vazias, além de seu corpo transformá-los facilmente em açúcar e gordura, você acaba ficando com fome mais cedo. É isso que pode fazer com que você se torne uma pessoa que vive beliscando e comendo docinhos, bolachas/biscoitos e por aí vai.

Para mudar esse paradigma, faça um teste e comece a ingerir alimentos ricos em proteína, fibra e gorduras saudáveis. Aposte em opções como iogurte grego, frutas, vegetais, ovos, sementes e afins.

3 – Sua circunferência abdominal vai diminuir

Boa notícia para quem quer perder a gordura da barriga. Reduzir o consumo de carboidratos simples (aqueles feitos com farinha branca, como pães e bolos) e aumentar a ingestão de alimentos ricos em fibras vão fazer com que aquela gordura na região abdominal diminua bastante.

Aliás, uma curiosidade interessante sobre o porquê de acumularmos gordura mais na região da barriga: nosso intestino tem micro-organismos que nos ajudam a digerir alimentos e a eliminar resíduos depois. Comer pouca fibra ou poucos alimentos nutritivos enfraquece esses micro-organismos – o açúcar, por outro lado, alimenta micro-organismos “do mal”, que nos deixam inchados e fazem com que nossa barriga pareça maior. Se você tem o famoso “intestino preguiçoso”, o motivo pode estar na sua alimentação. Aposte em alimentos integrais, frutas e castanhas.

4 – Menores são as chances de você desenvolver diabetes

Carboidratos simples são ricos em açúcar, e o consumo excessivo desse tipo de nutriente, a longo prazo, pode fazer com que você desequilibre a produção de insulina do seu corpo e, por causa disso, desenvolva diabetes. Sério: faça um teste de um mês, diminua o consumo de carboidratos simples, aumente o de fibras e proteínas e veja o resultado.

5 – Seus músculos ficam mais fortes

A verdade é que quase qualquer outra opção de alimento é melhor do que carboidrato simples, e isso tem a ver com o fato de que esses alimentos quase não têm proteínas e outros nutrientes. Quando você começa a ingerir alimentos mais saudáveis, sua condição muscular fica mais bem desenvolvida e estruturada. Menos doces e massas. Mais frutas, castanhas, vegetais, ovos, sementes e alimentos integrais.

6 – Você se sente com mais disposição e energia

Não estamos dizendo para você cortar todos os carboidratos da sua vida, que fique claro! Batatas cozidas (nada de preferir sempre as fritas!), arroz integral e feijão, por exemplo, são alimentos que têm carboidrato, mas que também têm outros nutrientes.

Preferir alimentos integrais e dar mais lugar aos alimentos naturais, como frutas e legumes, é uma escolha inteligente. Essas opções dão mais energia ao seu corpo, até mesmo porque não são digeridas facilmente – além do mais, as fibras, por exemplo, incham depois de serem ingeridas e nos dão a famigerada sensação de saciedade. Experimente opções novas de refeições – banana com aveia, por exemplo, é delicioso e saudável!

***

O Mega está concorrendo ao Prêmio Influenciadores Digitais, e você pode nos ajudar a sermos bicampeões! Clique aqui e descubra como. Aproveite para nos seguir no Instagram e se inscreva em nosso canal no YouTube.