Ao adquirir hábitos simples e saudáveis, todos podem viver melhor, mais felizes e com mais saúde – algo que traz preciosos anos de vida para nós durante a velhice. Inclusive, nós já listamos no Mega Curioso dicas de como você pode ser mais saudável (como você pode lembrar aqui).

Hoje, nós vamos listar mais algumas informações que, segundo a naturopata australiana Barbara Botani já fazem toda a diferença para que vivamos melhores e tenhamos boas velhices (e o melhor, são orientações bem simples). De acordo com Botani, se seguidas, essas dicas podem ampliar a nossa longevidade em até 10 anos. Vamos lá:

1 – Um sono de qualidade

A má qualidade do sono (ou até mesmo a falta dele) está relacionada aos mais diversos problemas de saúde que prejudicam o corpo em longo prazo. De acordo com Botani, os distúrbios de sono podem favorecer a depressão, a obesidade, a raiva e a pressão alta. Para se ter sonos melhores, é preciso ter um bom colchão, então procure investir um pouco mais nesse item tão importante.

Além disso, os travesseiros devem ser feitos de fibras naturais como lã ou seda (materiais que proporcionam maior conforto e qualidade de sono). Botani diz: esses materiais vão regular a umidade do corpo e garantir que a pele não seja sufocada enquanto você dorme. A natureza flexível dessas fibras também permite que elas não puxem a pele durante o sono, algo capaz de desenvolver linhas e rugas no rosto.

2 – Pare de se preocupar sem necessidade

Botani diz que existem dezenas de pequenas coisas e atitudes de outras pessoas que geram estresse em nós. Para viver melhor nesse sentido, o segredo é um só: decidir se essas situações valem ou não valem o estresse ou a preocupação que você está tendo. Não vale sofrer por antecipação também – algo que não traz nenhum benefício para o hoje a ainda por cima prejudica o presente com pensamentos desnecessários.

Às vezes o cara que foi grosso com você ou aquela pessoa que o ignorou no corredor do trabalho simplesmente não merecem atenção. É preciso definir com o que você quer se preocupar e em quais situações você vai depositar mais ou menos energia. Definitivamente, o estresse e a preocupação em excesso não são bons para a saúde.

3 – Não tome tanto café

Essa dica pode ser um tanto dolorosa para várias pessoas. Um estudo da Universidade de Gotemburgo (Suécia), apontou alguns fatores que cortam a longevidade dos seres humanos e são bastante prejudiciais após os 50 anos. Muitos deles são óbvios e nós já sabemos de cor, como o hábito de fumar e os colesteróis altos. Contudo, outro fator bastante importante e que às vezes é ignorado é o excesso de consumo de café. De acordo com o estudo, quatro pequenas xícaras de café são mais do que suficientes por dia.

4 – Sorrir para estranhos

Pois é, de acordo com os estudos de Barbara Botani (e de muitos outros que apontam o mesmo), sorrir para estranhos é um hábito saudável. Parece que andar de cara fechada pelas ruas, olhando para o chão e se esquivando dos olhares dos outros não traz muitos benefícios – muito pelo contrário.

Ao sorrir para um desconhecido, e, principalmente, se ele também responder com um sorriso, os dois saem do pequeno encontro silencioso com um humor melhor. Pesquisadores do Centro Médico da Universidade do Texas já disseram que é importante ser grato diariamente e reconhecer todas as coisas boas que nós podemos viver. Um jeito simples de fazer isso é sorrir para outras pessoas, mesmo que nada seja dito. Esse pequeno ato já pode fazer uma grande diferença no seu dia e no dia do outro também.

5 – Pare de achar que a vida é muito difícil

Quando nós crescemos e, principalmente, quando deixamos de ser adolescentes e nos tornamos jovens adultos com responsabilidades, várias pessoas começam a achar que a vida é muito difícil – talvez complicada demais. O nosso humor e o jeito como encaramos a vida faz toda a diferença na rotina e, principalmente, no modo como vemos nós mesmos no mundo.

Manifestações contínuas de negatividade podem trazer coisas ruins para você, e quando experiências legais acontecerem (ou portas para mudanças se abrirem) você pode estar tão fechado em seus próprios pensamentos de como o mundo é ruim ou sobre como a vida é injusta que não vai poder aproveitá-las.

6 – Fazer mais exercícios

Por mais óbvio que possa parecer (e também por sempre aparecer em listas do gênero), fazer exercícios regularmente é algo que deve ser pontuado aqui também – simplesmente pelo fato de ser extremamente importante. Estudos prévios já mostraram que as pessoas que fazem exercícios frequentemente têm menos probabilidade de morrer prematuramente (13%), de acordo com Botani.

7 – O constante uso de filtro solar

Quase todo mundo conhece aquele clássico vídeo da internet sobre o uso de filtro solar, narrado pela voz de Pedro Bial ou em demais versões por outros narradores, com frases de efeito e de autoajuda. Acontece que ele traz várias verdades, pois de fato o uso de filtro solar é bastante importante e é cientificamente comprovado como benéfico.

De acordo com um estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, localizado nos Estados Unidos, somente 32% dos adultos diz passar protetor solar. Isso pode afetar a longevidade dessas pessoas, já que a exposição ao Sol favorece o envelhecimento precoce da pele e do corpo – é claro que é saudável tomar vitamina D através dos raios solares, porém é algo que deve ser maneirado.

8 – Reavaliando as suas amizades

As amizades são importantes para todos nós, pois são com os amigos que compartilhamos bons momentos, inseguranças, experiências incríveis e pegamos conselhos quando precisamos. É por isso mesmo que amigos que colocam você para baixo e o deixam se sentindo inferior ou que simplesmente passam a ser desagradáveis não devem ser mantidos por perto (até por questões de saúde).

A questão que você deve se perguntar é a seguinte: realmente vale a pena gastar o meu tempo com essa pessoa? Não gaste os seus dias com pessoas que fazem você se sentir mal – simples assim. Procure ficar com os amigos que o inspiram e possuem boas energias. Certifique-se de não ficar muito solitário, já que a solidão é um dos fatores que favorecem o envelhecimento precoce e influenciam o desenvolvimento de diversas doenças, como a depressão.

***

E então, o que achou das dicas de Barbara Botani? Se você tem mais algumas sugestões ou até mesmo experiências para compartilhar, sinta-se livre para fazer isso nos comentários.