De repente, uma pessoa especial chama a sua atenção por algum motivo e seu coração resolve acelerar toda vez que ela passa. Você gagueja e não sabe direito como começar uma conversa. Suas mãos tremem e, quando há um momento de olho no olho, o estômago dá cambalhotas, e tudo o que você quer é beijar aquela pessoa; afinal, é por meio do beijo que demonstramos afeto e desejo.

Beijar é, portanto, uma atividade absurdamente simples, natural, normal, instintiva e um pouco bizarra, se analisarmos o ato mais friamente. Ainda que seja cada vez mais fácil e rápido encontrar alguém para beijar, algumas pessoas – por serem tímidas, jovens ou românticas à moda antiga – acabam deixando de tomar uma atitude por medo de não mandarem bem na hora da troca de saliva. Mesmo os mais saidinhos já devem ter se deparado com alguém que “beija mal”.

Ora, da mesma forma que há quem “não sabe” beijar, devem existir pessoas que se classificariam como especialistas. Se é assim ou não, é difícil dizer, mas a revista Time publicou o resultado de uma série de estudos científicos feitos sobre o beijo, de modo que é possível aprender alguma coisa nova e se tornar um expert no assunto. Não custa tentar, não é mesmo?

Beijar é importante

Retirando toda a carga emocional e romântica do beijo, o que sobra são duas pessoas que abrem a boca e esfregam suas línguas repetidamente, como se estivessem lambendo os restos do último pote de Nutella do mundo. Por que será que a gente faz isso? Aliás: por que será que a gente faz isso e gosta?

Para a Ciência, beijar frequentemente é um ato que aumenta a satisfação do casal com relação ao próprio relacionamento. Basicamente, a quantidade de beijos que um casal troca é proporcional a isso. Dos homens, 59% afirmam que já terminaram a relação com uma pessoa porque ela não beijava bem – entre as mulheres, esse índice é de 66%.

Não é de espantar, portanto, o fato de termos tanto medo do primeiro contato com alguém de quem gostamos. O primeiro beijo nessa pessoa dos sonhos é um grande risco – antes dele, havia o beijo imaginário, que, como acontece só em nossa cabeça, costuma ser perfeito –, mas, quando a oportunidade chega, fica difícil controlar o frio na barriga.

Segundo o psicólogo John Bohannon, a maioria das pessoas é capaz lembrar até 90% de todos os detalhes do primeiro beijo romântico de suas vidas. Para chegar a essa conclusão, Bohannon analisou as respostas de 500 pessoas, e a maioria esmagadora delas conseguia se lembrar mais dos detalhes de seu primeiro beijo romântico do que da primeira vez em que fizeram sexo.

Justamente por essa carga emocional automaticamente vinculada ao beijo é que muitas prostitutas não aceitam beijar seus clientes. De acordo com os cientistas sociais Joanna Brewis e Stephen Linstead, essas mulheres não beijam com frequência porque beijar requer um “desejo genuíno e amor pela outra pessoa”.

As pesquisas sobre beijo são tantas que já se pode saber algumas informações curiosas, como: homens que beijam suas esposas antes de sair para o trabalho têm uma expectativa de vida de 5 anos a mais, são 30% mais ricos e correm menos riscos de se envolver em acidentes de carro.

Esse mesmo estudo, que foi realizado na Alemanha durante uma década inteira, revelou que aqueles homens que não beijam suas esposas têm simplesmente 50% a mais de chances de sofrer acidentes de trânsito. A questão aqui não é que o beijo é milagroso, mas que beijar logo cedo é uma ótima forma de começar o dia com uma energia mais positiva.

Biologicamente, essa é uma forma de avaliarmos se a pessoa beijada seria uma boa companheira. Pelo visto, a troca de informação postural, olfativa e tátil que ocorre durante o beijo é suficiente para que o nosso cérebro inconscientemente avalie se devemos ou não continuar com a pessoa beijada. Se a mensagem for negativa, a conclusão é de que o beijo foi ruim. Simples assim.

Diferenças para homens e mulheres

Logicamente, a percepção do beijo é influenciada pelas diferenças comportamentais, biológicas e sociais de gênero. Pode-se dizer, portanto, que o beijo tem significados diferentes para homens e mulheres.

As moças tendem a enxergar o beijo como uma boa forma de encontrar um possível parceiro para a vida ou de manter e monitorar uma relação longa de compromisso. Entre os fatores que as mulheres mais avaliam na pessoa que estão beijando estão o hálito e o gosto da boca, características mais do que determinantes no que se refere às chances de que o beijo se repita.

Mulheres valorizam a qualidade dos dentes dos homens, preferindo aqueles que têm um sorriso aparentemente mais saudável. Além do mais, quando comparadas com os homens, elas dão muito mais importância ao beijo antes, durante e depois da relação sexual. Os homens, por outro lado, não valorizam tanto o beijo e são atraídos mais pelos atributos físicos de suas parceiras.

Como saber se alguém quer beijar você?

A resposta mais prática aqui seria esta: perguntando. Acontece que muitas pessoas não conseguem falar em relacionamentos amorosos nem com os amigos, imagina com o indivíduo que quer beijar...

Nesse sentido, toda pista ajuda, e é sempre importante trabalhar o autocontrole para evitar que o excesso de nervosismo e medo se transforme em um ladrão de oportunidades. No fim das contas, a melhor forma de saber se alguém está a fim de beijar você é arrumar uma forma de se aproximar da vida pessoal dessa pessoa e observar como ela reage.

Quando falamos nessa aproximação, é preciso deixar claro que o bom senso é sempre bem-vindo. Para abraçar, dar um beijo no rosto ou respirar profundamente perto da pessoa, é preciso certo nível de intimidade. Beijos e abraços amigáveis são sempre um bom sinal de aceitação.

De acordo com David D’Angelo, mulheres costumam aprovar homens que mexem nos cabelos delas. Uma vez feito isso, o Don Juan precisa prestar atenção à resposta da moça, que certamente vai mostrar se gostou da aproximação ou não, geralmente por meio de sorrisos e troca de olhares. Para os tímidos, é uma forma segura de aproximação.

Preferências

Segundo William Cane, autor do livro The Art of Kissing, homens gostam de mulheres que abrem mais a boca, têm mais iniciativa e são mais agressivas com suas línguas, sendo igualmente ativas durante o beijo.

Cane também dá dicas aos cuecas: não deixem a língua empacada na garganta da moça (essa foi a maior reclamação do público feminino, rapazes); deixem espaço para que as meninas respirem sem sufocar; e “escutem” a forma como elas beijam, o que significa seguir o ritmo dela e, de vez em quando, ser um pouco mais agressivo e conduzir o beijo.

Para homens e mulheres, o conselho de sempre, que é básico e óbvio, mas que não pode deixar de ser citado: não dá para se esquecer de que uma boca limpa é sempre melhor do que uma boca suja. Escovar os dentes, usar fio dental, fazer bochecho com enxaguante bucal e ter uma balinha de menta no bolso não faz mal a ninguém. Para as mulheres, especialmente, uma boca sujinha é um fator altamente eliminatório.

No livro de Cane, há alguns resultados curiosos de suas pesquisas sobre beijo: 53% das mulheres gostam mais de beijar homens sem barba; depois da boca, as mulheres gostam de serem beijadas na região do pescoço – 96% das mulheres dizem que adoram beijos no pescoço, e apenas 10% dos rapazes afirmam o mesmo.

Cuecas, fiquem atentos: entre as maiores reclamações femininas está o fato de que muitos homens beijam de forma mecânica, automática demais, sem muita variedade. É, meninos, o segredo para agradar ao público feminino parece ser a boa e velha criatividade.

Tanto para homens quanto para mulheres, há alguns conselhos gerais. A aparência importa, então vale sempre tomar os cuidados necessários para parecer limpo e atraente. Além disso, se a ideia é promover uma relação que dure mais do que uma música na balada, é bom buscar conhecer melhor a outra pessoa – dessa forma, quando o beijo finalmente acontecer, ele possivelmente será menos constrangedor.

Outro conselho importante é também bastante óbvio: escolha a hora e o local certos para agir. Se você gosta mesmo dessa pessoa, espere até sentir que ela está se sentindo confortável com a ideia. Se você é do tipo ansioso e que quer tudo para ontem, talvez seja uma boa forma de aprender a levar a vida com mais calma. Aceitar que nem tudo acontece na hora que você quer é um bom indicativo de amadurecimento pessoal.

Na hora do tão esperado beijo, se você tiver a sorte de sentir que finalmente vai dar certo, as chances de que tudo ocorra bem aumentam se você estiver vestindo uma roupa vermelha, sabia? Coisas da Ciência... Outros fatores favoráveis são um ambiente à meia-luz, dividir histórias pessoais e, claro, demonstrar um pouco de excitação.

O autor do artigo nos lembra de que é sempre bom conhecer melhor a pessoa que se quer beijar. Claro, isso vale muito mais para investidas românticas do que para as casuais. O fato é que ter acesso às preferências da pessoa de quem você gosta, assim como saber o que menos a agrada, é uma forma de, na hora do beijo, vocês ficarem mais ligados ainda. Até o dia chegar, desejamos boa sorte, paciência e, claro, sucesso.

*Publicado em 19/10/2015

***

Você sabia que o Mega Curioso também está no Instagram? Clique aqui para nos seguir e ficar por dentro de curiosidades exclusivas!