Killian Gonzalez é um garoto de apenas 4 anos que passou, recentemente, por uma experiência bizarra de vida – e de quase morte. Vítima de um acidente de carro, ele só não teve sua cabeça arrancada do pescoço porque contou com a ajuda de Leah Woodward, uma mulher que o socorreu momentos após o acidente e segurou a cabeça do menino de tal modo que ela não fosse separada de seu corpo.

Esse tipo de trauma, conhecido como decapitação interna, ocorre quando os músculos ao redor do pescoço são rompidos, de modo que a cabeça fique presa ao corpo por meio da pele, apenas. O crânio do garoto também foi separado da coluna vertebral – nesses casos, apenas 1% das vítimas sobrevive, geralmente após uma série de cirurgias. Não foi o caso de Killian, que, além de ter sobrevivido, não precisou ser submetido a qualquer tipo de procedimento cirúrgico e deve receber alta médica em breve.

O garoto ainda está internado em um hospital de Boise, em Idaho, nos EUA, onde o acidente aconteceu. De acordo com informações do jornal Metro, ele está andando, comendo e sentando normalmente.

Susto

O acidente aconteceu quando o carro da família derrapou no gelo e acabou atingindo outro veículo. Leah, que estava em um carro atrás com o marido, viu tudo e os dois pararam para prestar ajuda. De acordo com ela, apesar de tentar se manter calma, no momento em que segurava a cabeça do menino junto ao corpo dele, à espera do resgate, estava em pânico e não tinha ideia do que estava fazendo.

Felizmente, seu ato salvou a vida do garoto, que agora conta com uma campanha online a fim de arrecadar dinheiro para cobrir os custos de sua recuperação. Você conhece alguma história surpreendente de sobrevivência? Conte para a gente nos comentários!