No Monte Kaputar, em Nova Gales do Sul, Austrália, é possível encontrar um ecossistema praticamente isolado que ainda é, em partes, misterioso aos pesquisadores. Foi lá que uma equipe de cientistas descobriu uma interessante espécie de lesma gigante de tom rosa fluorescente.

Ela geralmente encontra abrigo em folhas, pedras e cascos de árvores, mas segundo Michael Murphy, guia local, em alguns dias é possível ver centenas desses animais saindo para se alimentar. A informação surpreendente é que a espécie Triboniophorus aff. graeffei não se alimenta como as outras lesmas: o molusco de cor psicodélica é carnívoro.

Mas não se preocupe, pois aparentemente ele é inofensivo a humanos e se alimenta, preferencialmente, de outras lesmas, seguindo o rastro dos animais e engolindo-os de forma violenta. Essa é a terceira espécie de lesma carnívora encontrada por pesquisadores.

A criatura pode chegar a 20 centímetros de comprimento, o que é considerado um tamanho assustador para lesmas e moluscos. Seu tamanho chega perto do recorde existente no Guiness: a Achatina achatina, conhecida como caramujo-gigante-africano, geralmente chega a, no máximo, 18 cm, mas o Livro dos Recordes já registrou um animal da espécie com 28 cm, considerado como a maior lesma do mundo.