Sentimos medo de aranhas por um motivo: algumas têm venenos tão fortes que, em casos mais graves, podem até provocar a morte. O mesmo acontece com outros animais venenosos, como cobras, escorpiões e centopeias, mas você já se perguntou de onde vem o essa substância maligna?

O IFL Science publicou os resultados de uma pesquisa feita para descobrir exatamente isso e, acredite você ou não, o veneno das aranhas e das centopeias parece ter envolvido de uma substância parecida com a insulina.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores procuraram semelhanças entre as proteínas, hormônios e outras moléculas presentes no veneno de aranhas e centopeias. A conclusão foi a de que não havia semelhanças genéticas entre os venenos, mas eles apresentavam formatos moleculares realmente parecidos.

De acordo com o autor do estudo, Glenn King, uma análise mais aprofundada nas estruturas hormonais do veneno foi o diferencial para que a equipe conseguisse estabelecer semelhanças entre os dois tipos de toxina, tão diferentes uma do outra.

Ao que tudo indica, esses venenos evoluíram de uma substância que regula os níveis de açúcar no corpo desses bichinhos medonhos – algo parecido com o que a insulina faz no corpo humano. Não é de hoje que pesquisadores estudam diferentes tipos de venenos, até mesmo porque essas substâncias são utilizadas na elaboração de diversos produtos químicos.

Com essas informações novas a respeito desses dois tipos de veneno, os cientistas esperam poder aprimorar em breve a produção de medicamentos como analgésicos e controladores da pressão arterial e bioinseticidas. No caso do veneno de centopeia, a esperança é a de que ele possa ser utilizado como modelo de engenharia química na hora de desenvolver soluções para questões da área agrícola e também da médica.