Uma família fora do comum está se formando em Guaporema, uma pequena cidade de pouco mais de dois mil habitantes no noroeste do Paraná. A mãe é Faísca, uma cadela que recentemente adotou dois tatuzinhos, que ganharam o nome de Pancho e Panda.

Ortência Regina Alves, a criadora de Faísca, conta que tudo começou com um acidente de trator que aconteceu em uma lavoura de cana-de-açúcar. Depois de ver que o maquinário havia atingido um animal, o marido de Ortênsia, que operava o trator, encontrou os dois filhotes de tatu e os levou para casa.

Chegando lá, os pequenos foram acolhidos pela cadela que, mesmo sem nunca ter engravidado, começou a produzir leite e amamentar os filhotes normalmente. Os veterinários acreditam que Faísca tenha tido uma gravidez psicológica, o que justifica a produção do leite que ela dá a Pancho e Panda.

Sábia natureza

Como é possível ver no vídeo acima, a recomendação era de que os animais fossem devolvidos para o local onde foram encontrados assim que estivessem grandes e saudáveis. Então, algum tempo depois da chegada dos tatus, Ortência pediu para que seu marido levasse os animais de volta para a lavoura.

Porém, eles tiveram que voltar atrás por causa da reação de Faísca: “Um dia depois de termos levado os filhotes, a cachorra ficou muito doente. Levei ela em um veterinário, comprei remédio, troquei de ração e nada de ela melhorar. Somente depois que buscamos os tatuzinhos e deixamos eles na cama dela é que ela melhorou”, revela Ortência.

Agora, vivendo juntos novamente, os responsáveis por essa família inusitada contam que os tatus estão cada vez mais parecidos com a cadela: “Eles estão parecendo uns cachorrinhos agora. Pelo menos estão tendo as mesmas atitudes. Quando eu ou o meu marido chegamos em casa, eles vem correndo cheirar, lamber os nossos pés”, compartilha Ortência com o G1.

Como os animais foram salvos por Ortência e seu marido, dificilmente algum órgão ambiental tentará retirá-los dos cuidados de Faísca. Porém, por serem animais silvestres, quando crescerem talvez eles precisem de cuidados especiais. Até lá, a família torce para que a cadela e seus tatuzinhos possam ficar juntos pelo tempo que for possível.