Não é nada difícil de acontecer: muitas vezes, após você comer um dos seus pratos favoritos, como uma pizza, é possível que você diga: “eu poderia viver de pizza para sempre”. No entanto, apesar de existirem algumas exceções que aparecem em programas de TV, é praticamente impossível nos alimentarmos com apenas um tipo de comida.

Mesmo que a nossa sobrevivência estivesse em jogo, perdidos em uma floresta, por exemplo, teríamos que variar o cardápio de plantas, frutas, carne de caça ou mesmo insetos. Por outro lado, alguns animais são capazes de sobreviver comendo somente um tipo de alimento, mesmo que existam outros disponíveis. Confira abaixo quem são eles:

1 – Cobras que se alimentam de ovos

Estas cobras assustadoras comem apenas ovos em fase amniótica, ou seja, que têm a casca e uma série de membranas embrionárias. Para conseguir isso, essas serpentes têm ossos, chamados hipapófise, que são grandes e afiados o suficiente para quebrar as cascas de ovos depois de comê-los.

Geralmente, a cobra engole o ovo e o quebra já dentro do corpo. Feito isso, o conteúdo embrionário é engolido e aproveitado, depois ela regurgita a casca (conforme você pode conferir no vídeo acima). Existem 11 tipos de cobras que se alimentam apenas de ovos na África, além de uma espécie muito rara encontrada na Índia.

2 – Coalas e suas folhas de eucalipto

Quase a totalidade da dieta de um coala fofo consiste em folhas e mais folhas de eucalipto. Mas não é de qualquer árvore que o bichinho gosta, não! Existem cerca de 600 espécies de eucalipto disponíveis, mas o coala só come as folhas de cerca de 30 dessas variedades.

Apesar de ser uma característica própria da espécie, talvez os coalas estejam perdendo de aproveitar melhor a vida em atividades mais agitadas. Isso porque as folhas fibrosas do eucalipto têm baixo valor nutricional e também são difíceis de digerir. Por essas razões, o coala precisa guardar a sua energia, tendo que dormir ou descansar por até 22 horas por dia.

3 – Gavião-caramujeiro

O gavião-caramujeiro é uma espécie de ave que come apenas caracóis-maçã quase que exclusivamente em sua vida. No entanto, quando esse tipo específico de caramujo está escasso em seu território, o gavião ocasionalmente apela para outros animais, como tartarugas, encontrados em seu habitat, que se estende por grande parte da América do Sul e partes da Flórida e do Caribe.

4 – Panda e suas folhas

Eles são lindos, fofos e adoram um verdinho. Esses são os pandas e cerca de 99% de sua dieta é composta de folhas, brotos e talos de bambu. Mas, assim como o eucalipto, o bambu não tem muito valor nutricional. Por isso, cada panda tem que comer uma média de 11 a 37 quilos de folhas dessa espécie (ou brotos e talos) por dia para se manter.

Os pandas gigantes da China são da ordem de animais carnívoros, mas apenas ocasionalmente comem pequenos roedores. Em cativeiro, de acordo com o Zoológico Nacional Smithsonian, os ursos comem bambu, cana-de-açúcar, mingau de arroz, um biscoito de alta fibra especial, cenoura, maçã e batata-doce. Um cardápio especial.

5 – A lagarta da borboleta-monarca

As borboletas-monarcas sugam néctar das flores, é claro. Mas, enquanto estão na fase de lagartas, elas só comem as folhas de uma planta que tem uma seiva tóxica, o que torna as tanto as lagartas quanto as borboletas adultas venenosas para os predadores.

6 – O furão-de-pata-preta

O furão-de-pata-preta vive no oeste dos Estados Unidos e come principalmente cães-de-pradaria (que se parecem com marmotas). Eles caçam esses roedores em suas tocas e vivem nas escavações abandonadas. Ocasionalmente, quando um cão-de-pradaria não está por perto, o furão vai atrás de esquilos e ratos para se alimentar, o que, para ele, deve ter quase o mesmo sabor.

7 – O Ptilocercus lowii

O Ptilocercus lowii da Tailândia e da Indonésia só bebe o néctar fermentado naturalmente da palma de Bertam, que tem um teor alcoólico de 3,8% (o equivalente a uma lata de cerveja light).

A pequena criatura bebe o equivalente a 10 a 12 latas de cerveja por noite. Porém, antes que você pense que ele fique com uma baita de uma ressaca, apesar do fato de esses animais beberem uma quantidade de álcool que seria perigoso para a maioria dos mamíferos, eles não mostram quaisquer sinais de intoxicação.