Os sapos e rãs geralmente não são os animais favoritos das pessoas. Talvez o único sapinho mais simpático e querido por muita gente seja o Caco, dos Muppets. Mas você sabia que esses anfíbios guardam peculiaridades muito interessantes?

Por exemplo, você até já pôde conferir aqui no Mega Curioso que antigamente usavam sapos para conservar melhor o leite. Além disso, você também teve a oportunidade de conferir alguns dos superpoderes que algumas espécies desses animais têm.

Realmente, existe muita coisa por trás de alguns tipos dessas criaturas, repulsivas para muitos, que são surpreendentes. Confira abaixo algumas informações que foram publicadas em um artigo de Tanya Lewis, do Live Science:

1 – Podem usar os olhos para engolir

Imagine se nós, humanos, na hora de engolir, precisássemos usar os olhos para ajudar no trabalho da garganta? Bizarro, não é? Pois alguns tipos de sapos fazem isso, dependendo do tamanho da comida que têm na boca.

Eles são capazes de forçar tanto para mandar o alimento para baixo que acabam utilizando os globos oculares como um reforço, abaixando-os no céu da boca para ajudar a descer tudo pela garganta. Veja mais detalhes no vídeo abaixo:

2 – Sem ovos

Como muita gente sabe, os sapos e outros anfíbios botam ovos, enquanto os mamíferos dão à luz suas crias. Porém, existe uma espécie de sapo que tem seus filhotes exatamente como os mamíferos, dando à luz diretamente girinos vivos.

Segundo o Live Science, esse sapo é o único com essa capacidade. A descoberta aconteceu no ano passado, quando o pesquisador da Universidade da Califórnia Jim McGuire estava em uma expedição na floresta tropical em Sulawesi, uma ilha no leste indonésio de Bornéu. De acordo com McGuire, ele tropeçou no que parecia ser um sapo macho.

No entanto, quando ele estendeu a mão para pegá-lo, ele segurou muito mais do que o animal sozinho e ainda constatou que, na verdade, era uma fêmea: "Assim que a peguei, ela esguichou girinos por toda a minha mão", disse McGuire ao Live Science.

Ele não teve tempo de gravar a ação, mas encontrou mais girinos em poças próximas. "A descoberta foi uma indicação clara de que as fêmeas daquela espécie dão à luz girinos vivos”, completou o especialista. A espécie asiática já havia sido descoberta há várias décadas, mas ainda não havia sido relatada e especificada totalmente em um artigo científico.

3 – Dão à luz através das bocas

É isso mesmo que você leu. Sapos que dão à luz pela boca! No entanto, as duas espécies que tinham essa capacidade estão extintas desde o início de 1980. Esses anfíbios tinham o que era chamado de “ninhadas-gástricas”, em que as fêmeas colocavam os ovos normalmente, os sapos fecundavam com seu esperma e depois as mães engoliam os ovos fertilizados. Nesse período, as enzimas digestivas da fêmea eram “desligadas” e os ovos podiam se desenvolver em centenas de microssapinhos.

No final do desenvolvimento deles, a mãe dava à luz pela boca. A extinção dessas espécies provavelmente aconteceu por causa da extração de madeira na região onde os animais viviam, juntamente com uma infecção causada por um fungo.

4 – Sapos gigantes

Você já pode ter tido o desprazer de se deparar com um baita de um sapão em seu caminho, mas não tão grande quanto o sapo Golias da África Central. Esse exemplar pode crescer até 38 centímetros e pesar até quase três quilos e meio, de acordo com o Museu Americano de História Natural.

5 – Teste de gravidez

Essa talvez seja a mais esquisita e também interessante das curiosidades inusitadas sobre os sapos. Na década de 1940, os cientistas descobriram que sapos africanos poderiam ser utilizados para determinar se uma mulher estava grávida.

Segundo as experiências deles, quando os hormônios da urina de uma mulher grávida eram injetados nos sapos, isso faziam com que os animais pusessem ovos. Com isso, entre os anos 1940 e 1970, os hospitais passaram a adquirir sapos em grande número. Também foram usados sapo do gênero Bufo, o que levou ao termo "teste Bufo". Os testes modernos já não precisam da ajuda desses animaizinhos.