A área sudeste do Tibet, localizada entre o lado oriental do Himalaya e a região Indo-Burma, é bastante rica em vida selvagem. Entretanto, as espécies que habitam os diversos ecossistemas disponíveis não são muito estudadas, em especial por causa da volatilidade política da região.

Apesar das dificuldades, um grupo de cientistas conseguiu reunir dados e fotografias durante mais de dois anos e publicou um estudo que identifica uma nova espécie de macaco. Os animais, que são extremamente similares a outros do local, foram basicamente diferenciados devido à coloração e ao formato da genitália.

As espécies nativas já conhecidas possuem escrotos brancos e pênis em formato de flecha, enquanto que os novos bichos estudados têm escrotos escuros e pênis com uma forma mais arredondada. Também foram identificadas outras diferenças mais sutis na pelagem, nos bigodes e nos pescoços dos animais.

As informações coletadas são bastante promissoras, mas o grupo de cientistas ainda não solicitou um voucher para registrar o descobrimento de uma nova espécie. De fato, as pessoas envolvidas na pesquisa precisam de cadáveres dos macacos ou então amostras de DNA que comprovem que os animais pertencem de fato a espécies diferentes.

Via EmResumo