Imagine que você pega uma formiguinha e deixa que ela caia do alto do Empire State Building — aquele famoso edifício que fica em Manhattan, Nova York. O prédio, só para você ter uma noção da queda da bichinha, tem 102 andares e altura total de 443,2 metros contando a antena ou 373,2 m do solo até o último andar. Então, voltando à questão da formiga, será que ela morreria se despencasse lá de cima?

Dami Lee, do portal The Verge, foi atrás da — fascinante — resposta e, surpreendentemente, descobriu que as formigas sobreviveriam ao impacto. A explicação está no fato de esses animaizinhos conseguirem controlar seus corpos durante a queda e de eles serem pequenos e leves demais para sofrer qualquer dano ao atingir o solo. Mas, como?

Imortais?

Segundo Dami, o enigma das formigas pode ser respondido através do conceito da velocidade terminal — onde a força da gravidade que “puxa” um corpo em direção ao solo é igual e oposta à resistência do ar, que, por sua vez, “segura” a sua queda. Pois a velocidade terminal depende de tamanho, massa e formato de um corpo e, no caso das formigas, um time de físicos da Universidade de Illinois calculou que ela é equivalente a 6,4 quilômetros por hora.

Elas não têm medo de altura, não

Um humano, por outro lado, cairia a cerca de 200 km/h — sofrendo um belo estrago ao chegar ao chão! Voltando à formiguinha, segundo um cientista chamado John Burdon Sanderson Haldane, como a resistência oferecida pelo ar é proporcional à superfície do objeto em queda, se dividirmos comprimento, largura e altura de um corpo por dez, o peso seria reduzido a uma milésima parte, enquanto a superfície seria diminuída a apenas uma centésima parte do total.

E caiu...

Sendo assim, J.B.S. Haldane concluiu que a resistência de um corpo pequenino é aproximadamente 10 vezes maior do que a força da gravidade aplicada sobre ele. E ainda temos a questão da capacidade das formigas de conseguir manobrar seus corpinhos durante uma queda.

Elas não precisam de paraquedas

De acordo com um pesquisador (da Universidade de Oklahoma, nos EUA) consultado por Dami, digamos que uma formiga que se encontre no alto de uma árvore se depara com um predador. Segundo o cientista, elas não pensam duas vezes e se jogam de onde quer que estejam para escapar — e usam as patinhas para ganhar certo controle da direção que seus corpos devem seguir e vão planando até chegar a uma superfície segura.