Uma série de escavações secretas foi feita durante meses por arqueólogos no Peru e revelou a existência de um túmulo coletivo, contendo, além dos restos mortais de 60 pessoas, objetos valiosos.

Segundo o site Smithsonian, o “tesouro” encontrado é datado do império peruano de Wari, que, acredita-se, que tenha governado a região costeira do Peru do ano 700 a 1.000 depois de Cristo. Entre as 60 pessoas enterradas, estão três rainhas do império Wari, que foram encontradas entre mais de mil objetos, incluindo artefatos de cerâmica, ferramentas de ouro e bronze, além de sofisticadas joias de ouro e prata.

Tesouro perdido

Ornamentos de ouro e prata encontrados nas escavações Fonte da imagem: National Geographic

Os arqueólogos se surpreenderam pelo achado estar intocado pelo tempo, além de estar a salvo de saqueadores depois de tantos séculos. A descoberta foi liderada pelo arqueólogo polonês Milosz Giersz, que, mesmo ficando feliz com o fato, começou a ter pesadelos, conforme relatou ao National Geographic.

Isso porque o especialista ficou receoso dos saqueadores seguirem para o local, onde ele e seus colegas tiveram que cavar através de 30 toneladas de rocha para chegar ao túmulo de 1.200 anos. Esse receio tem motivo, pois vários outros sítios arqueológicos dessa civilização foram saqueados e milhares de objetos — e a história — foram perdidos.

Fonte da imagem: National Geographic

De acordo com o Smithsonian, apesar dessa descoberta, grande parte da história Wari permanece um mistério e eles esperam que os artefatos encontrados possam responder algumas das suas dúvidas.