(Fonte da imagem: Reprodução/gizmag )

Você já parou para pensar em como será o tráfego de pessoas e veículos dentro de alguns anos? De acordo com o site gizmag, o pessoal do estúdio de arquitetura Höweler + Yoon Architecture, dos EUA, apresentou um projeto conceitual de como eles acreditam que a infraestrutura urbana entre as cidades de Boston e Washington poderá ser em 2030.

Levando em consideração questões como o desenvolvimento e o planejamento urbano, assim como sua relevância para o futuro da mobilidade da população e cargas, os arquitetos criaram a megarregião “Boswash”. De acordo com os arquitetos, os subúrbios, cidadezinhas e demais regiões metropolitanas cimentariam as duas metrópoles, fazendo com que a noção de bairros e áreas independentes deixasse de existir.

Transporte inteligente e coletividade

(Fonte da imagem: Reprodução/gizmag )

Um dos principais elementos do projeto é um novo conceito de transporte que conectaria tanto o transporte coletivo como o individual a uma única artéria, que ocuparia uma rodovia de 724 quilômetros que já existe e liga as cidades de Boston e Washington. Batizado de “Shareway”, o sistema contaria com diversas vias de alta velocidade construídas em diferentes níveis que formariam uma complexa rede.

Cada uma dessas vias seria dedicada a um tipo específico de trânsito — cargas, pessoas, veículos individuais etc. —, e ao logo do percurso existiriam paradas estratégicas para que os viajantes pudessem descer e seguir caminhos diferentes. O sistema também disponibilizaria uma frota de veículos movidos a energia cinética para que os passageiros pudessem se locomover livremente até o seu destino final.

A estrutura também ofereceria uma interface inteligente para que as pessoas rodando com seus próprios carros pudessem acessar e definir qual a melhor rota, e descobrir se existem outros viajantes para quem dar carona. Assim, além de otimizar o transporte, a Shareway também seria um espaço social, dedicado a promover atividades em grupo e mudar a ideia de “liberdade e posses” para “liberdade de posses”, estimulando, assim, a redução na quantidade de veículos privados em circulação.

Superfícies mutantes e compartilhamento

(Fonte da imagem: Reprodução/gizmag)

Outra proposta dos arquitetos seria a utilização de um tipo de superfície inteligente que atuaria como um gigante painel rotativo. Com um funcionamento semelhante ao dos outdoors que mudam de imagem graças à rotação de vários painéis, as vias poderiam mudar de grama a placas solares ou pavimento de acordo com a necessidade.

E além de oferecer uma plataforma de transporte que potencialmente livraria os habitantes de Boswash da noção de “propriedade”, os arquitetos foram mais longe e incluíram áreas de cultivo próximo às estações de transporte, e residências compartilháveis — iguais a alguns sistemas atuais de carros de uso comunitário que funcionam através de uma afiliação — instaladas ao longo da artéria. Confira mais imagens deste utópico projeto na galeria abaixo e conte nos comentários se você acha que uma ideia como essa poderia funcionar um dia.