Você já tinha visto a imagem sobre a qual vamos falar a seguir? Conhecida como “o suicídio mais belo”, ela mostra o corpo de uma jovem de 23 anos chamada Evelyn Francis McHale — que tirou a própria vida ao saltar da plataforma de observação que fica no 86º andar do Empire State Building, em Nova York (EUA). Confira a seguir:

Evelyn Francis McHaleO suicídio mais belo (Reddit/Unresolved Mysteries/Robert Wiles)

De acordo com Katie Serena, do site All That Is Interesting, a foto de Evelyn foi capturada por um estudante de fotografia chamado Robert Wiles no dia 1º de maio de 1947, apenas 4 minutos depois de ela cair sobre uma limusine das Nações Unidas que se encontrava estacionada diante do emblemático edifício, e se transformou em uma das imagens de suicídio mais famosas da História.

Jovem comum

Segundo Katie, apesar de a foto de Evelyn ter se tornado tão famosa — tendo estampado páginas de revistas famosas como a Time e até ter sido usada por Andy Warhol em uma de suas ilustrações —, não existem muitas informações a respeito da vida da jovem nem sobre os motivos que a levaram a cometer suicídio.

Evelyn Francis McHaleEvelyn em uma foto de 1942 (Codex 99/Ancestry.com)

O que se sabe é que ela nasceu em setembro de 1923, em Berkeley, na Califórnia, e era uma das oito crianças do casal Helen e Vincent McHale. Os dois se divorciaram na década de 30, e o pai ficou com a custódia dos filhos, se mudando com eles para Nova York.

Também se sabe que, quando concluiu o ensino médio, Evelyn se uniu ao Women’s Army Corps — um departamento feminino do Exército dos EUA focado em serviços administrativos e burocráticos— e foi transferida para trabalhar no Missouri. Algum tempo depois, a moça arranjou um emprego como escriturária e voltou para Nova York, onde conheceu um universitário chamado Barry Rhodes, de quem ficou noiva.

O suicídio mais belo

Na véspera de cometer suicídio, Evelyn foi visitar Barry na Pensilvânia, e o rapaz contou mais tarde que não notou nada incomum no comportamento da noiva. Então, no dia seguinte ao encontro, a jovem chegou pela manhã ao Empire State Building, subiu até o 86º andar, removeu o casaco e o colocou cuidadosamente no parapeito da plataforma de observação.

Empire State BuildingPlataforma de observação de onde Evelyn saltou (Vintage Everyday)

Depois, Evelyn escreveu um bilhete — que foi deixado junto ao casaco —, subiu no parapeito e saltou. De acordo com testemunhas, havia um guarda a apenas 3 metros de distância da jovem, mas, infelizmente, ele não conseguiu fazer nada para impedir que ela cometesse suicídio.

Em seu bilhete, Evelyn pediu que ninguém — seja de sua família ou fora dela — visse qualquer parte dela, e que seu corpo fosse cremado. Ela também pediu que nenhuma cerimônia fosse organizada ou sepultura fosse criada em sua lembrança. Segundo escreveu, Barry, seu noivo, tinha pedido que eles se casassem em junho, mas a jovem acreditava que ela não seria uma boa esposa para ninguém e que Barry ficaria melhor sem ela. Evelyn terminou a nota pedindo que seu pai fosse informado de que ela tinha muitas das tendências de sua mãe.

Limusine destruídaLimusine destruída após o suicídio (Codex 99/Louisiana Daily World)

Atendendo aos desejos da moça, ela não teve funeral, seu corpo foi cremado e não existe qualquer sepultura marcando sua morte. No entanto, com relação ao pedido de que ninguém a visse, esse, lamentavelmente, não foi atendido, visto que a imagem dela — que mais parece estar placidamente adormecida sobre o teto da limusine — se tornou mundialmente famosa. O fotógrafo, no entanto, jamais publicou outra foto.

Segundo o pessoal do site Codex 99, Evelyn foi a 12ª pessoa a saltar do Empire State Building e a quinta a tentar cometer suicídio no local em um período de 3 semanas. Depois da morte da jovem, um gradil de 3 metros de altura foi instalado para impedir que pessoas saltassem da plataforma de observação, e os guardas do local receberam treinamento para aprender a identificar possíveis suicidas. Barry, o noivo, se formou em Engenharia, se mudou para a Califórnia e nunca se casou. Ele faleceu em 2007, aos  86 anos.