Depois de ser diagnosticada, dez anos atrás, com uma doença crônica no intestino e passar por um tratamento errado, a pintora americana Klari Reis começou a se questionar sobre as diferentes formas que o corpo humano pode reagir a medicamentos. Assim, a artista resolveu que deveria explorar as reações biológicas em seu próprio trabalho.

Fonte da imagem: Reprodução/The Daily Dish 2013

Para isso, Reis trabalha com agências de biotecnologia, nas quais pode examinar o efeito de fármacos no sangue, com a ajuda de microscópios eletrônicos. Depois de observar essas reações naturais, a pintora usa camadas de polímeros de epóxi para recriar as imagens vistas por ela.

Fonte da imagem: Reprodução/The Daily Dish 2013

E há um detalhe fundamental que torna o processo mais criativo: Reis não usa imagens fotográficas para isso, confiando apenas na própria memória para pintar as placas de Petri, o que torna cada peça como uma forma de interpretação da realidade. Além disso, variações de temperatura também são aplicadas para provocar algumas reações inesperadas e imitar, de alguma forma, a repetição de células naturais.

Fonte da imagem: Reprodução/The Daily Dish 2013

É preciso confessar que o resultado final é muito interessante, não? Principalmente quando todas as placas pintadas são reunidas em uma parede. Confira mais imagens da série no blog The Daily Dish 2013.