Graças a uma simples coincidência, um dos maiores gênios da humanidade pode ter criado a primeira imagem estereoscópica da história. De acordo com os pesquisadores Claus-Christian Carbon e Vera Hesslinger, a Mona Lisa pode ser vista tridimensionalmente quando sobreposta a outro quadro que foi pintado ao mesmo tempo em que Leonardo Da Vinci criava seu retrato mais famoso.

Reprodução/Sploid GIF mostra a diferença de perspectiva nas duas versões de Mona Lisa.

A imagem que permite esse “fenômeno” foi descoberta em 2012 e se encontra no Museo del Prado, em Madri, na Espanha. Por algum tempo, os historiadores acreditavam que a pintura era apenas uma cópia da versão original de Da Vinci. Porém, análises de raios-X permitiram identificar que o quadro foi feito por um aprendiz no mesmo momento em que Da Vinci pintava A Gioconda.

Análises mais profundas revelaram algumas diferenças. A principal delas está na posição do corpo de Mona Lisa com relação ao fundo da pintura, que acredita-se que era uma imagem plana que havia sido colocada atrás da modelo. Ao comparar os dois quadros, os especialistas também notaram que há uma diferença na perspectiva, o que mostra que a pintura foi feita de dois pontos de vista diferentes, conforme ilustra a figura.

Reprodução/SploidEsquema mostra como os especialistas acreditam que o quadro foi pintado.

Os pesquisadores descobriram que essa diferença na perspectiva resultou em dois retratos diferentes que, quando sobrepostos, resultam em uma imagem estereoscópica – ou seja, tridimensional. No estudo que revela tais descobertas, os especialistas pontuam que “as duas [pinturas] juntas podem representar a primeira imagem estereoscópica da história mundial”.