Não, caro leitor, os astrônomos não encontraram a temível “Estrela da Morte” vagando pelo Universo. A imagem que você acabou de ver mostra, na verdade, Mimas, uma das luas que orbitam ao redor de Saturno. De acordo com o pessoal do Smithsonian.com, até bem pouco tempo atrás esse satélite era considerado pelos cientistas como um astrozinho sem graça.

Segundo a publicação, Mimas tem sua superfície coberta de crateras, característica que sugeria que o satélite possuía uma superfície geologicamente inativa, sem muita coisa para explorar. No entanto, parece que a luazinha — Mimas é o menor astro do Sistema Solar a apresentar um formato quase completamente esférico — não é tão enfadonha assim.

Balanço

Conforme explica o Smithsonian.com, os astrônomos já sabiam que Mimas “bamboleava” devido à sua órbita elíptica, já que seus períodos rotacionais e orbitais exercem influência um sobre o outro. Isso significa que o satélite se move mais depressa quando se encontra mais próximo a Saturno e mais lentamente quando está mais distante.

Contudo, uma equipe de cientistas descobriu que esse “bamboleio” é muito maior do que se pensava, mais precisamente o dobro do esperado. Os pesquisadores confirmaram essa novidade depois de analisar dados coletados pela sonda Cassini, da NASA, concluindo que os modelos disponíveis de Mimas — como um que se apoia na crença de que a massa interna da lua se encontra distribuída de maneira uniforme — não explica o forte movimento.

Hipóteses

Segundo os pesquisadores — da Universidade Cornell —, uma das explicações seria que o núcleo de Mimas talvez tenha um formato alongado em vez de esférico, alterando seu centro de gravidade conforme ela orbita. Outra possibilidade é que no lugar de um núcleo parecido a uma bola de rugby, o satélite esconda um oceano turbulento sob a superfície.

O mais animador é que basta uma aproximação da Cassini para comprovar qual das duas hipóteses é correta. Os cientistas explicaram que se a trajetória da sonda sofrer alguma alteração durante o sobrevoo, isso significa que Mimas possui o núcleo estranho. Por outro lado, se nada acontecer, então a hipótese sobre o oceano é a certa. Independente de qual das alternativas for comprovada, ambas levam a conclusões interessantes.

Alternativas

No caso do núcleo alongado, essa descoberta poderia revelar pistas sobre a origem de Mimas. Segundo o Smithsonian.com, uma das teorias é a de que a lua pode ter se originado a partir da aglomeração de fragmentos de rocha nos anéis de Saturno, formando um objeto alongado que foi coberto por gelo e, depois de escapar dos anéis, acabou adotando o formato circular.

Já no caso de Mimas esconder um oceano, então é possível que a lua conte com uma fonte de calor sobre a qual ninguém havia pensando antes, provavelmente resultante de sua órbita elíptica. Devido à falta de atividade geológica na superfície do satélite, os cientistas descartam que essa fonte seja interna. Assim, o calor seria derivado do intenso campo gravitacional de Saturno, que faz com que as camadas internas de Mimas entrem em fricção conforme ela se aproxima ou se afasta do planeta.