Surpresa em dose tripla nesta sexta-feira (20) para quem costuma apreciar a graciosa dança dos corpos celestes: o dia de hoje marca não apenas o início do outono no Hemisfério Sul (equinócio); mas um eclipse total do Sol e uma superlua são também os fenômenos desta memorável data.

Mas somente quem olhou para cima às 4h41 (de Brasília) a partir das regiões remotas do Hemisfério Norte e do Oceano Ártico teve a chance de testemunhar o “desaparecimento total” da nossa estrela. Moradores curiosos da Europa, do norte da África e da Ásia puderam ver um eclipse parcial do raro movimento dos astros (é o que mostram, inclusive, as imagens acima registradas por cidadãos europeus e de países do norte).

O equinócio, evento marcado pelo cruzamento direto da Linha do Equador pelo Sol, está previsto para as 19h45 do horário de Brasília. A Lua em seu perigeu (ponto mais próximo entre a Terra e seu satélite natural) coincide com a lua nova, o que deixa o astro “gigante”.

O eclipse total, quando a Lua se coloca entre a Terra e o Sol, é um fenômeno raro, pois ocorre a cada três séculos sobre localizações geográficas específicas. Em Portugal, Inglaterra, Noruega e França, bem como nas regiões do Hemisfério Norte, pessoas saíram às ruas para vislumbrar o fenômeno que começou de manhã cedinho por lá.

Via EmResumo