Um time de astrônomos americanos detectou destroços estelares flutuando em torno de um buraco negro em uma galáxia que está relativamente perto da Via Láctea, a cerca de 295 milhões de anos luz de distância. Esse tipo de evento astronômico, conhecido como interrupção de maré, é o mais próximo a acontecer em relação à Terra nos últimos dez anos.

O nome da pequena galáxia elíptica é PGC 043234, e a interrupção de maré se iniciou quando uma estrela passou perto demais de um buraco negro. As poderosas forças gravitacionais do buraco despedaçaram a estrela, que começou a ser sugada para o horizonte de eventos – o ponto sem volta ao redor de um buraco negro. Parte dos destroços está orbitando em volta do buraco, em uma forma semelhante à ilustração abaixo.

Os primeiros a observarem o fenômeno foram os pesquisadores do projeto All-Sky Automated Survey for Supernovae (Busca Automatizada de Todo o Céu por Supernovas, representado pela sigla ASAS-SN). Ele então foi confirmado por diversos outros órgãos e institutos de astronomia.

Matéria em volta de buracos negros geralmente tem uma notável assinatura de raios X, por conta dos “discos de acreção”. Explicando a grosso modo, esses discos são formados pela matéria se deslocando em volta do buraco, que sofre uma aceleração tão grande que gera energia gravitacional, emitida na forma de calor e radiação, que nesse caso são os raios X (as ondas azuis na figura e no vídeo). As temperaturas emitidas por um desses discos podem chegar a 10 milhões de graus, de acordo com alguns estudos.

Ao observar esse efeito "mais de perto", os cientistas serão capazes de compreender melhor o que acontece quando uma estrela é tragada por um buraco negro. Os pesquisadores do tema têm analisado as interrupções de marés por três décadas, mas essa é a primeira vez que observam esse fenômeno acontecer de forma tão precisa.

O buraco negro da galáxia PGC 043234 foi batizado de ASASSN-14li, e os astrônomos acreditam que ele tenha uma massa 2 milhões de vezes maior que a do nosso Sol. Isso faz com que ele tenha aproximadamente metade do tamanho do buraco negro que existe na Via Láctea, o Sagittarius A, que possui 4,3 milhões de vezes a massa de nossa estrela.

Você acha que o interior de um buraco negro se assemelha ao que é mostrado no filme "Interestelar" ou é completamente diferente? Por quê? Comente no Fórum do Mega Curioso