A forma como os mamíferos são gerados seria bem diferente caso uma peculiaridade não tivesse acontecido há pelo menos 120 milhões de anos. Ainda nesse período, os ancestrais dos mamíferos botavam ovos, condição presente só em dois mamíferos atuais: o ornitorrinco e a equidna.

Uma mudança drástica, sobretudo, aconteceu quando esse ancestral foi infectado pelo vírus ERV, parente do vírus da AIDS. Esse corpo persiste na quase totalidade dos mamíferos modernos e foi o responsável pela criação da placenta.

A teoria sobre o ERV diz que o vírus se instalou nos organismos desses animais e transferiu seu material genético para as células hospedeiras. Esse vírus tornou-se então parte do DNA humano; ele fica geralmente adormecido e só entra em ação quando um embrião começa a se desenvolver.

Sendo assim, o vírus faz com que as células que contenham esse gene se unam, criando uma barreira protetora para a placenta, o que impede que o sangue da mãe atinja o feto e que os anticorpos ataquem o bebê que está sendo gestado.