Descobertas recentes revelaram a existência de algumas criaturas capazes de sobreviver em ambientes nos quais os cientistas acreditavam que jamais existiria vida. Alguns exemplos são os microrganismos que foram descobertos em lagos isolados na Antártida, outros que foram detectados em um rio superácido na Espanha e até mesmo os seres encontrados no interior de rochas.

Esses organismos são conhecidos como estremófilos, e o fato de que possam resistir ao calor ou frio extremo, assim como à radiação, falta de água e nutrientes, revela uma incrível capacidade de sobrevivência não só aqui na Terra, mas — por que não? — em outros locais do Universo também. O pessoal do site LiveScience publicou uma lista com essas criaturas bizarras, e você pode conferir 5 condições extremas às quais elas podem suportar a seguir:

1 – Falta de água

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

Como você sabe, o deserto do Atacama, no Chile, é considerado o local mais árido do mundo. No entanto, em 2010 pesquisadores descobriram em uma caverna um tipo de organismo — a Dunaliella algae — capaz de sobreviver com uma quantidade mínima de água. Aliás, esses seres crescem sobre teias de aranha, absorvendo o orvalho depositado sobre os fios de seda pelas manhãs, resultantes da condensação da escassa umidade do ar.

2 – Excesso de calor

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

No famoso parque de Yellowstone, nos EUA, existem algumas nascentes cujas águas chegam a atingir os 96 °C de temperatura. E, apesar de parecer impossível que alguma forma de vida possa suportar essas condições extremas, um gênero de bactéria — o Aquifex — foi detectado nessas nascentes, provando ser capaz de sobreviver nesse tipo de ambiente.

3 – Interior de Rochas

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

Você consegue imaginar algum organismo que possa sobreviver no interior de rochas, nos poros entre grãos minerais ou nas fissuras presentes nos exoesqueletos de animais? Esses seres existem, são conhecidos como endolitos e já foram encontrados inclusive a mais de 3 quilômetros abaixo da superfície da Terra. A água é bem escassa a essas profundidades, e acredita-se que essas criaturas se alimentam de enxofre, potássio e ferro.

4 – Radiação

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

Uma dose de radiação de 10 grays é capaz de matar um humano. No entanto, a Deinococcus radiodurans — uma espécie de bactéria — consegue suportar doses de 15 mil grays tranquilamente, além de também ser capaz de sobreviver ao frio, ao vácuo, à desidratação e em ambientes ácidos. Aliás, a D. radiodurans consta no Guinness Book como a bactéria mais “durona” do planeta.

5 – Sem oxigênio

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

A criatura acima — um loricífero identificado como pertencente ao gênero Spinoloricus e cuja espécie ainda não foi formalmente descrita — foi descoberta apenas recentemente. Esse organismo foi encontrado em sedimentos de uma região hipersalina na base do Mediterrâneo chamada L’Atalante, localizada próxima à ilha de Creta, e conta com organelas especializadas que permitem que ele sobreviva completamente sem oxigênio.