Quando criança, você deve ter estudado diversos aspectos da natureza, assim como o fato de que diversas espécies de animais foram extintas do planeta Terra — um dos exemplos mais famosos são os dinossauros. No entanto, a quantidade de criaturas que não existem mais é bem maior do que você pode imaginar.

Entre os animais que estão extintos, há espécies que sumiram do planeta sem que os cientistas consigam explicar o motivo — ou seja, eles não conseguem denominar se o fator de eliminação foi a caça predatória humana ou um meteoro que acabou com as condições de vida, por exemplo. Ficou curioso? Então, continue lendo e descubra mais sobre o assunto.

Um pássaro enorme

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

Um dos animais mais famosos que estão extintos é o dodo, mas ele não é o único pássaro incapaz de voar que figura na lista de espécies mortas. Acima, você pode conferir uma imagem do Elephant Bird, animal que habitava a ilha de Madagascar, chegava a ter quase três metros de altura e a pesar mais de quatrocentos quilos.

Por conta do seu tamanho, fica difícil entender o que levou a sua extinção. Por enquanto, a teoria mais aceita é a de que esses pássaros gigantes perderam o seu habitat para o homem, enquanto os seus ovos eram roubados, já que eles conseguem ser 150 vezes maior do que os de galinha, situação que acabou com toda a espécie.

Acabando com os pequenos

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

Do ano de 1873 até o ano de 1877, os Estados Unidos enfrentaram uma infestação de um gafanhoto conhecido como Rocky Mountain. Os insetos foram encontrados em uma quantidade tão grande que o país precisou arcar com milhões de dólares em prejuízos de fazendas e outros locais.

Cerca de trinta anos depois, estes gafanhotos estavam extintos. Apesar de não saber o real motivo para que isso aconteça, as teorias apontam para diversos fatores, sendo que os principais são mudanças climáticas, a diminuição de um habitat ideal para procriação dos insetos por conta da irrigação do solo e até problemas genéticos que acabaram com a espécie.

O rei dos mares

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

Até 1,5 milhão de anos atrás, os mares eram dominados por uma espécie de ancestral dos tubarões atuais, chamada Megalodon. Este animal chegava a ter 18 metros de comprimento, pesar mais de 100 toneladas e somente os seus dentes podiam ter dezoito centímetros — ou seja, ele era capaz de caçar baleias de grande porte facilmente.

Se um animal tão forte estava no topo da cadeia alimentar, o que poderia ter acontecido com a sua espécie? Uma teoria é a de que o Megalodon não resistiu ao resfriamento que ocorreu nos mares há milhares de anos. Enquanto isso, outros cientistas trazem a hipótese de que o surgimento de baleias gigantes pode ter acabado com a supremacia da espécie, fazendo com que ela sumisse do planeta.

Um sapinho estranho

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

O Equador era o lar de uma espécie de sapo de aparência bem curiosa, como você conferir na imagem acima, chamada Atelopus longirostriswas — no entanto, ela não é vista desde 1989. A única teoria que os cientistas têm para explicar o desaparecimento é uma doença gerada por um fungo, conhecida por matar 100% dos anfíbios que são infectados, sendo que essa diminuição contribuiu para que a redução de habitat e mudanças climáticas infelizmente eliminassem o restante da espécie.

Pessoal bem famoso

Fonte da imagem: Reprodução/LiveScience

Se você já estudou a evolução humana, deve ter ouvido falar sobre os famosos Neandertais, que chegaram a ser chamados de “primos” do homem contemporâneo. Esta espécie era inteligente o suficiente para trabalhar com ferramentas, viver em sociedade e até mesmo caçar animais muito maiores do que ela.

Contudo, os cientistas ainda não têm certeza de como eles desapareceram. Alguns acreditam que uma erupção vulcânica gigantesca combinada com uma época de frio extremo acabou com os Neandertais, que não eram muito capazes de se adaptar a diferenças climáticas bruscas com a rapidez necessária.

Enquanto isso, outros pesquisadores alegam que o Homo erectus é o real responsável pela extinção dos Neandertais. Há diversas teorias, como o genocídio de uma espécie inteira, a disseminação de doenças estranhas e até mesmo o acasalamento entre os dois animais, fazendo com que os Neandertais sejam parte do seu DNA. Interessante, não é?

*Publicado originalmente em 30/08/2013.