Todo mundo aqui já foi criança um dia e, por isso, não é segredo nenhum que os pequenos enjoam com facilidade de um brinquedo, mesmo que ele seja novo. Computadores e tablets aliados à internet estão repletos de opções que prometem distrair as crianças por algum tempo, mas para alguns pais essa não é a melhor opção.

Fonte da imagem: Shutterstock - 360b

Com essa ideia em mente, a mãe e empresária Elina Furman criou a Pley – uma iniciativa que oferece assinaturas mensais de conjuntos de LEGO para facilitar a vida dos pais e garantir a diversão das crianças. Conhecido como o “Netflix dos LEGOs”, o serviço tem como principal objetivo renovar constantemente as opções das crianças sem que os pais tenham que investir enormes quantidades de dinheiro e ficar acumulando pecinhas coloridas pela casa.

Quem coleciona esse tipo de brinquedo sabe que ele pode custar caro, especialmente os conjuntos temáticos e com uma grande quantidade de peças. Mesmo nos Estados Unidos, o LEGO é uma opção salgada para o bolso de alguns, então as três assinaturas oferecidas pela Pley possuem preços praticáveis: 15 dólares ao mês para kits pequenos, 25 dólares para conjuntos médios e 39 dólares para edições especiais e com muitas peças.

Feito para crianças

Como o principal objetivo da iniciativa é oferecer opções criativas especialmente para os pequenos, foi preciso pensar no bem-estar deles. Nesse sentido, a Pley sabe que toda criança está mais preocupada em brincar do que em organizar os brinquedos, então não é cobrada nenhuma taxa adicional se até 15 pecinhas desaparecerem do kit. Ah, o frete de entrega e coleta também é grátis.

Ainda, como o produto troca de dono mensalmente, todos os conjuntos são devidamente higienizados antes de serem enviados para a próxima criança. Desde sua criação, números recentes mostram que a empresa já enviou mais de 75 mil LEGOs ao redor do país para 15 mil famílias.

Fonte da imagem: Shutterstock

Recentemente, a empresa recebeu um investimento de 6,7 milhões de dólares. O próximo passo da Pley é expandir seu catálogo com outros tipos de brinquedos que sejam igualmente educativos e criativos. Com um investimento como esse, será que existe alguma chance da novidade desembarcar no Brasil?!