Você se lembra que, no mês passado, trouxemos a história do satélite russo que pretendia se tornar “a estrela mais brilhante do céu”? Pois bem, não deu certo! Lançado no dia 14 de julho junto com um foguete Soyuz, o tal satélite nunca chegou a ser visto aqui da Terra – alguns astrônomos amadores até tentaram argumentar o contrário, mas a própria agência espacial russa os desmentiu e explicou que eles devem ter visto outros objetos que também refletem a luz solar.

"Talvez tenhamos feito algo de errado e haja alguns problemas com a nossa dedução", disse Alexander Shaenko, líder do projeto que lançou o satélite chamado Mayak. Agora, eles acreditam que até mesmo os cálculos de que ele se tornaria o terceiro objeto mais brilhante podem estar errados.

Líder do projeto, Alexander Shaenko "acha" que houve algum problema

A princípio, o Mayak perderia apenas para o Sol e a Lua, com uma magnitude luminosa de -10. Porém, novos cálculos apontam que, se tivesse funcionado, no máximo chegaria a -3, sendo o quarto mais brilhante do espaço, perdendo também para Vênus.

Neste momento, os cientistas tentam descobrir o que aconteceu – uma falha no lançamento, talvez? –, mas é bastante improvável que eles consigam ativar o Mayak aqui da Terra. Vários astrônomos, entretanto, comemoraram o tropeço dos russos, já que a suposta luminosidade do Mayak poderia atrapalhar a visão de outros corpos celestes.