1. Ele tem dois esfíncteres

Você já deve ter ouvido falar no “esfíncter anal”, mas talvez saiba apenas do mais externo, aquele que você pode controlar quando vai ao banheiro, por exemplo. Porém, muitos não sabem que existe um outro esfíncter mais escondidinho e que tem um movimento involuntário, ou seja, ele abre e fecha apenas quando é a hora de eliminar as fezes, mas você não tem controle sobre seu funcionamento.

2. Você deveria tocá-lo com mais frequência

Calma, caro leitor, ninguém aqui está incentivando algo sexual: acontece que a aparência de seu ânus pode revelar algumas características sobre sua saúde. Como existe muito tabu em cima do assunto, muitos sequer se lembrar da existência do orifício, mas é importante notar saliências ou qualquer anormalidade ao toque – faça isso no banho, enquanto se ensaboa, por exemplo! Ao sinal de que existe algo ali que não estava anteriormente, procure um médico.

3. Exame interno de toque

O tabu de muitos homens é a enfiada do dedinho para detectar câncer de próstata, mas um exame parecido também é feito para detectar o carcinoma anal, uma espécie de melanoma que cresce dentro de seu ânus e você não consegue sentir apenas apalpando no banho. Por isso, caso você tenha algum histórico dessa doença na família, pense em procurar um proctologista ao menos uma vez por ano. Afinal, quanto antes detectado o câncer, melhor!

4. Seu ânus não “é sujo”

Por mais que seja um órgão excretor, você não deve encarar o ânus como algo sujo. As fezes ali são perfeitamente naturais – afinal, se elas não estivessem ali, para onde iriam? A limpeza ideal é feita apenas com água, já que alguns tipos de sabonete podem irritar e ressecar a pele dessa área, que é bastante sensível, principalmente a mucosa interna.

5. Maneiras históricas de limpar

Agradeça ao papel higiênico e ao lenço umedecido: no passado, a humanidade já usou folhas, grama, pedras, espigas de milho, pele de animais, neve, concha e muitos outros artefatos para a limpeza da região após o chamado da natureza. Ainda bem que os tempos mudaram, não é mesmo?

6. Por que o ânus tem pelos?

Bem, isso ainda é um enigma para a Ciência, mas é importante saber que a existência de pelos na região anal é perfeitamente normal. Acredita-se que os fatos de o ânus não estar envolvido na procriação ou de os pelos não atrapalharem a evacuação podem ser o motivo para ainda não termos um popô totalmente lisinho por natureza. Outra teoria é de que os pelos ajudam a evitar a irritação por contra do atrito com as nossas roupas. Será?

7. Hemorroidas são veias dilatadas

A região tem muita vascularização, e as veias possuem um papel fundamental na hora de deixarmos o ânus fechadinho. Quando surge uma hemorroida, isso nada mais é do que uma dilatação anormal de alguma dessas veias, que podem ser grandes o suficiente para ficarem inclusive para fora do ânus. Elas podem sangrar, coçar e doer, por isso é importante procurar um médico se elas aparecerem.

8. Evite ficar mais de 5 minutos sentado no vaso

Para evitar o aparecimento de hemorroidas, uma das dicas e não ficar tanto tempo sentado no troninho fazendo as necessidades. Quando você se prepara para defecar, todo seu corpo se concentra nesse esforço, e a gravidade exerce enorme impacto em seu ânus, que fica lá “penduradão” sobre a água do vaso. Quanto mais tempo você ficar nessa posição, pior é para a sua saúde anal. Quer se atualizar de notícias ou jogar Paciência em seu smartphone? Faça fora do banheiro!

9. Fissura anal

Nem todas as ardências anais se referem a hemorroidas: é bastante comum que surjam fissuras na área devido a movimentos do próprio intestino. Elas são extremamente desagradáveis e doloridas, mas normalmente se fecham sozinhas. Você pode fazer banhos de assento, mergulhando o popô em uma bacia morna por 20 minutos diários. Caso a fissura seja persistente, não se acanhe de visitar um médico.