Os humanos, assim como uma grande parcela dos mamíferos, são cobertos de pelos em todo o corpo – alguns com mais e outros com menos intensidade. Porém, você já reparou que apenas os cabelos crescem sem parar? Por que será que isso acontece?

Para entender o que acontece, é preciso compreender as três fases de crescimento capilar. A primeira delas, chamada de anágena, corresponde ao crescimento em si e pode durar até seis anos. Nela, o folículo capilar trabalhando intensamente com as proteínas que recebe para acumular células e tecer uma estrutura semelhante a uma corda. Enquanto o sangue estiver fluindo por esse folículo, ele continuará produzindo os fios e o empurrando para fora da cabeça.

A segunda fase, conhecida como catágena, corresponde ao período em que o cabelo começa a “morrer”. O folículo não aguenta mais produzir novas células para tecer sua estrutura capilar, prosseguindo o caminho, ele próprio, para fora da sua cabeça. Isto é: na prática, apesar de o fio estar morto, ele ainda cresce mais alguns milímetros até o folículo sair de seu couro cabeludo e o fio cair. Isso pode durar de três semanas a três meses.

ciclo cabelo

Por fim, vem a fase telógena, que é quando o buraco deixado pelo antigo folículo começa a se regenerar e formar um novo folículo, que passará a produzir fios de cabelo e passar por todas as fases novamente, em um eterno ciclo (quase) sem fim. É importante notar que cada folículo de sua cabeleira possui um ritmo próprio, por isso você não sente essa queda e renovação de maneira visual.

A fase anágena, que é a do crescimento do fio, depende da genética. Ela pode ser maior ou menor, dependendo da pessoa. No couro cabeludo, ela dura até seis anos, mas isso é diferente do resto do corpo, quando ela dura apenas algumas semanas – por isso seus pelos pubianos ou da perna nunca chegam ao tamanho de seu cabelo.

Uma coisa que difere os humanos de outros animais é o crescimento escalonado dos fios: cada folículo possui um ritmo diferente na gente, enquanto em algumas espécies existe um cronograma para a troca total de pelos, principalmente no verão.

cabeloGenética determina o quanto seu cabelo vai crescer

Outro detalhe é em relação à evolução: quando os primeiros hominídeos desceram das árvores, eles possuíam uma pelagem muito mais densa, em todo o corpo. Conforme fomos nos tornando mais eretos, o nosso corpo sentiu a necessidade de proteger principalmente a cabeça dos raios ultravioletas.

Também existe a possibilidade de que deixamos de produzir pelos maiores em todo o corpo para não sofrermos com parasitas, tipo pulgas e carrapatos. Por fim, alguns garantem que é apenas uma questão estética: passamos a preferir parceiros menos peludos, então a natureza fez sua parte para que essa característica prevalecesse.