1 – Um estudo revelou que a vitamina B6 pode ajudar as pessoas a se lembrarem de seus sonhos.

2 – Ao contrário do que muitos possam imaginar, em vez de “desligar” e descansar, o nosso cérebro se torna mais ativo durante determinados estágios do sono e quando sonhamos do que quando estamos acordados.

3 – Falando em estágios do sono e de sonhos, o sono dos humanos é dividido em duas fases principais — a R.E.M. (Rapid Eye Movement ou Movimento Rápido dos Olhos) e a não R.E.M. — que, por sua vez, contam com cinco etapas diferentes.

Mulher sonhando(Dreamcatcher Reality)

4 – É na fase R.E.M. que temos o maior número de etapas (4 das cinco que mencionamos), e é também nessa etapa que o cérebro se torna mais ativo e a maioria dos sonhos acontece. Já os pesadelos são mais comuns nos estágios finais da fase R.E.M.

5 – De acordo com uma pesquisa, pessoas que assistiam a televisores branco e preto quando crianças costumam ter sonhos monocromáticos com mais frequência.

6 – Estudos apontaram que os sonhos podem ajudar as pessoas a liberar a criatividade e a encontrar soluções para seus problemas. As pesquisas também sugerem que os sonhos simulam a associação criativa que normalmente antecede o processo de criação.

Homem sonhando(Waking Times)

7 – Tanto que os sonhos foram responsáveis por inspirar diversas invenções e descobertas importantes, como a criação da máquina de costurar (Elias Howe), do gerador de corrente alternada (Nikola Tesla), da tabela periódica (Dimitri Mendeleyev), da forma de dupla-hélice do DNA (James Watson) e até do desenvolvimento do Google (Larry Page) — entre outras.

8 – Apesar de a Ciência não ter encontrado uma explicação ainda, o fato é que existem pessoas capazes de ter sonhos premonitórios, e há vários registros arrepiantes ao longo da História. Abraham Lincoln, por exemplo, teria sonhado sobre o próprio assassinato, e existem 19 relatos registrados de pessoas que sonharam sobre o naufrágio do Titanic.

9 – Surpreendentemente, apesar de a palavra “sonho” ter conotação positiva, os sonhos negativos são mais frequentes. Aliás, as emoções mais comuns que as pessoas dizem sentir quando sonham são a tristeza, o medo e a raiva.

Pesadelo sinistro(The Brains Blog)

10 – De acordo com uma pesquisa conduzida por cientistas de uma universidade britânica — a University of the West of England, em Bristol —, as mulheres têm significativamente mais pesadelos e sonhos emotivos do que os homens. Outro estudo revelou que os notívagos também têm mais sonhos ruins do que aqueles que costumam ir para a cama cedo.

11 – Já os sonhos violentos podem ser um sinal de alerta para o surgimento de disfunções cerebrais no futuro, entre elas a demência e o Mal de Parkinson.

12 – Segundo um levantamento, em média, nós temos entre 4 e 6 sonhos por noite, mas a maioria das pessoas se esquece de 95 a 99% deles.

Mulher sonhando(World of Lucid Dreaming)

13 – Os deficientes visuais são duas vezes mais propensos a sentir o cheiro de coisas em seus sonhos do que as pessoas que não têm problemas de visão. Ainda sobre os deficientes visuais, um estudo realizado por cientistas dinamarqueses apontou que essas pessoas têm mais pesadelos do que as demais.

14 – Existem pessoas que são capazes de ter sonhos lúcidos, isto é, ter controle sobre as próprias ações dentro de seus sonhos. Aliás, a turminha que adora passar horas diante dos videogames é mais propensa a experimentar sonhos lúcidos do que os demais.

15 – Durante os sonhos, é comum que a gente se depare com pessoas e personagens aparentemente desconhecidos. No entanto, o que acontece é que nós sonhamos com rostos de pessoas reais com as quais provavelmente cruzamos por aí, mas simplesmente não conhecemos ou nos lembramos de termos visto.