Nesta semana, publicamos uma lista com várias descobertas científicas aleatórias, mas uma delas chamou bastante atenção nos comentários: a história de que existem galinhas que são metade macho e metade fêmea. Como isso é possível?

Chamadas de animais ginandromorfos, essas galinhas possuem uma mistura de células geneticamente femininas e masculinas, sendo exatamente 50% de cada. Apesar disso, elas são relativamente raras, com 1 espécime a cada 10 mil nascimentos. Com isso, um dos lados do animal possui características de galo, enquanto o outro é de galinha.

Por algum tempo, os cientistas acharam que se tratava de uma anormalidade genética rara, mas descobriram que não era bem assim. Agora, a hipótese mais provável é que essas “galolinhas” tiveram os ovos fecundados por dois espermatozoides diferentes, como se fossem gêmeos siameses que desenvolveram apenas metade do corpo cada um. Isso, inclusive, deve acontecer com outras aves, mas como na maioria dos casos a aparência do macho e da fêmea é muito semelhante, a gente nem repara que se tratam de ginandromorfos.

Apesar de ter células de ambos os sexos, esses animais apresentam apenas um grupo de órgãos reprodutores – ou do macho ou da fêmea. Isso faz com que, tecnicamente, elas pudessem se reproduzir, mas até agora isso não está muito claro.

galinha Galinha com ginandromorfia no espelho: um dos lados apresentam características de galo e o outro de galinha