Se você achava que os spinners eram uma febre que nasceu e morreu em 2017, saiba que a gente também pensava isso. Nossas últimas matérias sobre o assunto foram a criação do menor spinner do mundo, em janeiro, e a vez em que astronautas da Estação Espacial Internacional brincaram com a coqueluche do ano passado, em outubro! De lá para cá, o negócio apareceu rapidamente em apenas duas matérias em que não eram o foco principal.

Porém, é importante saber que tanto tempo de espera tem um motivo: nada menos do que 50 engenheiros da Mitsubishi estavam trabalhando durante 6 meses para criar um novo fidget spinner. E o que ele tem de especial em relação àqueles xing ling que você compra nos camelôs? Nada. Confira:

Bem, não é exatamente "nada": ele até tem um design um pouco mais bonito e usa peças da montadora de carros de luxo, mas, na prática, só serve para você girar e ficar olhando. Só que o brinquedo entrou para o Guinness Book como o que ficou mais tempo rodando no dedo de uma pessoa. A marca alcançada foi de incríveis 24 minutos e 46 segundos – a gente aqui acha que o mais incrível mesmo foi ter ficado quase meia hora com o dedo levantado segurando esse negócio inútil até bater o recorde.

Segundo Shigeru None,o engenheiro principal do projeto, o fidget spinner da Mitsubishi usa tecnologia espacial (!) para conseguir suavidade e tempo de rotação que nunca antes foram conseguidos. A equipe usou ligas de alumínio semelhantes à de nave espaciais para deixar o brinquedo bastante leve – menos para os bolsos, já que custa o equivalente a R$ 1,5 mil! Vale o investimento?