Admirar o céu numa noite estrelada é bem relaxante, mas e se durante essa observação aparece algo que você não sabe explicar o que é? De repente, surge um ponto de luz se movimentando rapidamente ou um grande brilho que some repentinamente. Seriam aliens tentando se comunicar?

1

Se você nunca viu algo assim, provavelmente conhece alguém que passou por essa experiência. Na maioria das vezes, existe uma explicação, mas a falta de um registro ou alguém que possa analisá-lo acaba fazendo com que vire história para contar para os amigos.

O Projeto Livro Azul

Hoje em dia, temos como pesquisar sobre aliens facilmente, mas as coisas não funcionavam assim nos anos 1950. Na época, existiam tantos relatos, e até registros, de possíveis OVNIs que colocaram o governo dos EUA em alerta, com o receio de que o assunto causasse uma onda de histeria na população. Provavelmente com o intuito de evitar uma situação como essa (não há registro de relação entre os fatos), foi criado o Projeto Livro Azul (Project Blue Book), que visava analisar as informações circulantes sobre possíveis seres de outros planetas.

Apesar de ter sido iniciado na Força Aérea, o projeto teve envolvimento da CIA a partir de 1953, com a reunião de alguns especialistas para investigar os fatos e acalmar os ânimos da população. Uma banca foi montada, e durante três dias as evidências foram analisadas, chegando à conclusão de que em 90% dos relatos era possível fornecer uma explicação.

A porcentagem foi considerada satisfatória, e o pronunciamento final foi de que OVNIs não eram uma ameaça à população. A documentação verificada se manteve secreta até 1979, o que acabou levantando suspeitas de que algo ainda podia ser revelado.

2

O projeto foi finalizado em dezembro de 1969, devido ao declínio nos relatos de avistamento de objetos não identificados e às descobertas de um estudo publicado em 1968. Intitulado “Estudo Científico de Objetos Voadores Não Identificados” e conhecido também como Relatório Condon, ele investigou todos os casos não explicados na banca em 1953. Tendo como autor principal o Dr. Edward Condon, a conclusão foi de que os casos restantes também não representavam uma ameaça.

No entanto, isso não parou os mais dedicados ufólogos, que até hoje procuram evidências da presença de seres de outros planetas. Dentre os participantes da banca que explicou grande parte das evidências estava o astrônomo J. Allen Hynek. Ele escreveu um livro sobre a experiência, no qual há até uma medida para categorizar aparições de OVNIs e encontros com extraterrestres. Como se já não bastasse, o sujeito também foi o criador do Centro de Estudos de OVNIs, que existe até hoje. Se você gosta do assunto, vai encontrar bastante material no site deles (em inglês).