Eles são duros, afiados e fortes o suficiente para rasgar alimentos que muitas vezes até mesmo uma faca de cozinha sofre para conseguir cortar. São formados por cálcio, assim como os demais ossos do nosso organismo. Então, por que os dentes não são considerados ossos pela ciência?

É sabido que os dentes são a parte mais resistente do corpo humano, e isso acontece graças a uma substância chamada dentina, coberta por uma camada de esmalte. Essa combinação é fundamental para a resistência dos dentes.

Os ossos não possuem essa mesma formação. Em vez da camada esmaltada, sua superfície é coberta pelo periósteo, uma substância composta por osteoblastos, as células responsáveis por manter os ossos se reparando e crescendo  uma habilidade de regeneração que os dentes, por sua vez, não têm.

A maior parte dos ossos é coberta pelo periósteo, exceto as regiões das pontas de ossos longos, onde as articulações são viscosas, permitindo melhor mobilidade.

Embora ambos tenham uma grande porcentagem de cálcio em sua composição, até mesmo a maneira como esse elemento forma os dentes e ossos é diferente. No caso dos primeiros, há também fósforo e outros minerais, enquanto os segundos recebem ainda sódio e proteínas de colágeno, o que permite aos ossos continuar flexíveis e resistentes à pressão. O cálcio chega para preencher os espaços em torno da moldura de colágeno, de modo que o sistema ósseo consiga dar estrutura para o corpo.

Dentro de toda essa camada mais firme dos ossos está a medula, que se "comunica" com o restante do corpo por meio da troca sanguínea que vem por meio dos próprios ossos. Há artérias que passam pelo periósteo, permitindo que o sangue passe, chegando à medula óssea, onde são produzidos glóbulos vermelhos e brancos.

Caso você esteja se perguntando, os dentes não possuem medula  e essa é outra grande diferença entre eles. Em vez desse líquido, seu núcleo é formado por veias, artérias e nervos que se comunicam com a gengiva e a mandíbula. O resultado é que eles também podem doer muito quando inflamados ou quando temos cáries, por exemplo.

Não ser um tipo de osso impede que os dentes sofram de doenças como a osteoporose, porém não que eles não sejam afetados por ela. Explicamos: a mandíbula, por sua vez, é parte do sistema ósseo. Quando uma pessoa possui osteoporose, ela começa a sofrer perda óssea, de forma que a mandíbula também pode ser impactada, enfraquecendo não os dentes, mas a região que os suporta.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!