Aqui no Brasil, quase todo mundo que viveu a década de 90 lembra da icônica cena de Bruno Mezenga, da novela "O Rei do Gado", comendo um verme para sobreviver. Mas é bem provável que, se o galã interpretado por Antonio Fagundes tivesse acesso a algumas dicas de sobrevivência na selva, não teria precisado apelar para uma opção tão repulsiva.

A verdade é que boa parte das pessoas não têm a menor noção de como se manter sãs e salvas caso, por qualquer motivo que seja, acabem perdidas e sozinhas no meio do mato. Como fazer fogo? Como escapar dos animais? Como encontrar água? E, mais importante que tudo isso: o que vai ter para o jantar?

De acordo com o botânico e especialista em plantas comestíveis Andrew Townesmith, do Jardim Botânico de Missouri, nos Estados Unidos, não é tão fácil identificar se uma planta pode ser perigosa ou saudável, e o grande desafio é encontrar algo que seja nutritivo e saboroso.

O mais importante antes de sair experimentando sabores naturais é garantir que o que você está comendo não seja venenoso ou perigoso para a saúde do sobrevivente. Em nenhum outro contexto o ditado “o que não mata engorda” faz tanto sentido! A dica, segundo ele, é ter paciência: "É essencialmente pegar pequenas quantidades de uma planta e ter contato gradativo com ela durante tempo o suficiente para ver se algum efeito negativo se desenvolve", explica.

O site Backpackers, dos Estados Unidos, construiu até mesmo um passo a passo que ajuda a identificar se algum efeito das plantas pode ser perigoso.

Confira essas dicas:

1. Separe a planta em várias partes — raízes, caules, folhas, frutos e flores  e foque em cada uma das partes por vez.

2. Cheire. Se o odor for ruim, com cheiro forte demais ou de podridão, fique longe.

3. Faça um teste de contato. Coloque um pedaço da planta na parte de dentro do cotovelo e deixe ali por alguns minutos. Se a pele continuar igual a antes, siga para o próximo passo. Se começar a coçar, arder, queimar ou qualquer outra reação se manifestar, abandone a ideia.

4. Se a planta não causar nenhuma alergia no teste de contato, avance para uma segunda etapa: o contato com os lábios. Encoste-os na planta e aguarde 15 minutos. Se não houver nenhuma reação bizarra, morda, mastigue e segure a planta na boca por alguns minutos também. Se for amargo ou tiver um gosto que lembre sabão, cuspa.

5. Agora, se o gosto for aceitável e sua boca não começar a inchar nem nada assim, engula e espere algumas horas. É provável que, quando chegar a essa altura em que você já estiver recorrendo a plantas comestíveis para sobreviver, a fome seja grande, mas o ideal é dar esse tempo. Afinal, você pode estar se envenenando sem saber!

É importante fazer esse teste com diferentes partes da planta a cada vez, já que, em alguns casos, uma planta extremamente nutritiva no caule pode ter flores danosas à saúde, e vice-versa. O mesmo vale para as flores e os frutinhos — não é porque eles são bonitinhos ou parecem com algo que você conhece que você deve sair testando direto na boca!

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!