Você sabia que Stephen Hawking, o genial físico teórico que faleceu em meados de março deste ano, além de deixar pesquisas científicas “engatilhadas” para publicação, também deixou um livro alinhado para ser lançado postumamente? Intitulado Brief Answers to Big Questions — ou Respostas Breves para Grandes Perguntas em tradução livre —, o volume foi publicado nesta semana e, além de trazer as opiniões do cientista sobre uma variedade de temas, revela o que ele pensava a respeito da existência de Deus.

Questão delicada

De acordo com Brandon Specktor, do site Live Science, entre as questões abordadas por Hawking em seu livro está a “Há um Deus?”, e a resposta do físico tem a ver com as décadas de pesquisas que ele desenvolveu, evidentemente, mas também de suas experiências pessoais e, se você é um grande fã do trabalho e da figura do cientista, então não ficará muito surpreso com a opinião dele.

Stephen Hawking(Physics World/Tom Dymond/REX/Shutterstock)

Segundo Brandon, Hawking era um ardente defensor da Teoria do Big Bang — que apoia a ideia de que o Universo teve origem a partir da expansão repentina de um ponto infinitamente denso e incrivelmente pequeno, menor que um átomo, chamado singularidade. O físico acreditava que tudo o que existe hoje no cosmos, das partículas de energia aos milhões de galáxias, surgiu a partir desse evento, e que tudo o que se formou depois pode ser explicado através da aplicação das leis científicas.

Aliás, até mesmo a evolução do Universo, desde o Big Bang até agora, pode ser explicada por essas leis, e inclusive a forma como a sua progressão deve continuar pode ser prevista. Hawking pensava que o cosmos é algo que foi criado de forma espontânea, a partir do nada, e de acordo com as leis da Ciência. E, aceitando as regras que regem a natureza da mesma forma que o físico as entendia — como um conjunto fixo de normas —, então, pensando sobre a criação de tudo, a figura de Deus não é necessária.

Embasamento científico

O físico inclui em sua resposta explicações sobre a mecânica quântica e como as partículas subatômicas se comportam, lembrando que, nos estudos conduzidos por cientistas, é comum que elas surjam aparentemente do nada e desapareçam de repente — apontando que o Universo, segundo a Teoria do Big Bang, foi um dia como uma dessas partículas.

Stephen Hawking(Along the Boards)

Hawking disse também em sua resposta que podemos argumentar, dizendo que, então, as leis científicas são obras do Senhor. No entanto, segundo o físico, estaríamos, com isso, oferecendo uma definição para “Deus”, e não uma prova sua existência nem de que Ele teria sido o responsável por criar o ponto de singularidade — nem por manipulá-lo para que a grande expansão ocorresse.

O cientista diz ainda em sua resposta que não pretendia ofender ninguém com suas colocações, mas explica que sua opinião era de que a Ciência oferecia uma resposta mais convincente do que a ideia da existência de ser divino que pôs tudo isso em andamento.

Sobre o que, então, teria desencadeado o processo de criação de tudo, para Hawking, como o próprio Universo surgiu como uma singularidade, o tempo não existia antes do Big Bang. E, se o tempo não existia antes da grande expansão, é impossível que houvesse um criador, uma vez que não havia nada onde Ele pudesse existir. Complexo? Bastante! A resposta de Hawking — a essa que é uma pergunta que há milênios instiga a humanidade — tem potencial de gerar polêmica? Muito! Então, que comecem as discussões! E você, caro leitor, o que acha?

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!