Os “combates” da Guerra Fria podem ter ficado apenas em demonstrações de poder e influência, como o próprio nome já indica, mas isso não significa que a disputa tenha acontecido de uma forma tranquila. As batalhas ocorreram em diversas áreas, inclusive com a produção de artefatos nucleares, que sempre preocuparam líderes do mundo todo.

A corrida espacial foi um desses pontos de disputa, onde a tecnologia avançava a passos largos e cada demonstração de sucesso colocava o adversário em uma posição nada confortável. Mas no fim das contas, quem ganhou?

Decatlo espacial

Se realmente compararmos a corrida espacial a um esporte, ela teria muito mais semelhanças com uma prova de decatlo, que engloba diversas modalidades e uma única avaliação final.

O apito inicial da disputa foi soprado pela União Soviética, que em 4 de outubro de 1957 conseguiu lançar o primeiro satélite artificial, o Sputnik I. A notícia deixou os EUA desesperados e acabou culminando na criação da NASA, em 1958.

Anos após o início das pesquisas na instituição, o presidente Kennedy anunciou, em 1961, o grande objetivo: colocar um homem na Lua. A atitude foi um movimento extremamente ousado, estratégico e necessário, após o cosmonauta Yuri Gagarin ter feito um pequeno passeio pelo espaço e colocado a União Soviética na frente.

A tecnologia disponível na época tornava a tarefa algo quase impossível, mas o anúncio fez com que ambos os lados trabalhassem ao máximo para ganhar a corrida. Até o momento, as informações disponíveis sobre foguetes vinham da Alemanha, que, durante a Segunda Guerra Mundial, desenvolveu protótipos de mísseis de longa distância.

Tanto a URSS quanto os EUA tiveram acesso aos foguetes V-2, utilizando a tecnologia alemã na produção de armamento próprio. A grande sacada foi perceber que a forma como eles foram projetados viabilizava o lançamento não apenas de bombas, mas também de outros objetos, como cápsulas tripuladas.

Cruzando a linha de chegada

A transmissão de Neil Armstrong caminhando pela Lua pode ser considerada o fim da corrida espacial, declarando os EUA como vencedores. O evento esfriou drasticamente a disputa, deixando os soviéticos em uma posição de derrota aos olhos do mundo.

Acontece que, apesar de um astronauta ter realizado o feito lunar pela primeira vez, em 20 de julho de 1969, os cosmonautas desempenharam um papel essencial para o sucesso norte-americano. Um lado monitorava a tecnologia do outro através de espionagem e fotos de satélite, sempre se mantendo atualizados sobre o estágio de evolução do vizinho.

Os louros da vitória foram para a NASA; porém, entre 1957 e 1965, a URSS foi a pioneira em diversas etapas da corrida. Nesse período, os soviéticos lançaram um satélite que orbitou a Lua, Yuri Gagarin foi o primeiro homem no espaço, cosmonautas foram mantidos no espaço por 5 dias, a cosmonauta Valentina Tereshkova foi a primeira mulher no espaço, e até mesmo uma caminhada espacial foi realizada, em 1965.

Focos diferentes

A URSS queria se mostrar superior aos EUA, mas isso não significava que todos os esforços se concentravam no objetivo de levar um homem até a Lua. Hoje sabemos que os soviéticos investiram aproximadamente metade dos US$ 25 bilhões que os EUA utilizaram no programa Apollo. Documentos da época mostram que esse investimento era condizente com a importância que os líderes de cada país davam ao projeto.

O grande empecilho, na época, era desenvolver um foguete grande o suficiente para conseguir impulsionar até a Lua todo o equipamento e a tripulação necessários para a missão. Os EUA conseguiram o feito com o Saturn V, mas um exemplo de que as tecnologias não estavam tão distantes foi que, quando Neil Armstrong pousou na Lua, um satélite soviético já orbitava o corpo celeste.

O Luna 3 possuía um braço robótico, desenvolvido para coletar material lunar e voltar para a Terra de forma remota. Infelizmente, o projeto apresentou problemas e foi abandonado após tentativas de retomada do controle. O programa espacial soviético também tentou colocar um homem na Lua até 1974, quando encerrou o projeto.

Já vislumbrando um futuro no espaço, a URSS lançou a primeira estação espacial em 1971, mas o feito já não era tão relevante após o sucesso americano que alcançou a Lua. Com o passar do tempo e a dissolução da União Soviética, Rússia e EUA trabalham atualmente em conjunto com outros 18 países na manutenção da Estação Espacial Internacional.

Em uma guerra em que não existiu um conflito físico, é difícil definir o vencedor. Do ponto de vista geral, a influência norte-americana sobre o mundo acabou prevalecendo, contudo na corrida espacial a disputa foi acirrada, e apontar um vencedor é algo complicado. E para você, quem ganhou essa corrida? Responda nos comentários abaixo.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!