Nós aqui do Mega Curioso já compartilhamos por aqui matérias que revisitam as diversas representações de Jesus Cristo ao longo dos séculos — você pode conferir uma delas através deste link —, e inclusive abordando a questão de como ele passou a ser retratado como um homem branco e com feições europeias. Pois uma equipe de arqueólogos acaba de anunciar a descoberta de mais uma representação do Nazareno, uma muito, muito antiga e diferente das demais.

Na realidade, a imagem se encontra gravada sobre uma superfície de reboco de uma antiga pia bastimal situada na região sul de Israel — em um sítio arqueológico que foi originalmente descoberto na década de 20. Entretanto, os “rabiscos” estavam tão desgastados e pouco visíveis, que ninguém tinha se dado conta do que eles retratavam até agora!

Imagem e semelhança?

Para a surpresa de todos, os desenhos, reexaminados por pesquisadores da Universidade de Haifa, mostram uma imagem de Jesus Cristo durante seu batismo e, diferente das representações às quais estamos mais acostumados a ver, o homem na pia batismal parece bastante jovem, não possui nem sinal de barba, tem nariz alongado e cabelos relativamente curtos e encaracolados. Veja a seguir:

Imagem de JesusReconstrução apresentada pelos arqueólogos (Haaretz/Dror Maayan)

Os arqueólogos também identificaram na superfície coberta de reboco vestígios de pigmentos que indicam que a imagem foi colorida um dia, além de sinais de que, ademais de Jesus, a composição continha outras figuras religiosas. Confira o local exato em que as representações foram encontradas:

Ruínas de Igreja em IsraelAli, viu? (Science Alert/Dror Maayan)

Além da imagem de Jesus, os pesquisadores também encontraram uma representação na qual Cristo foi retratado como um homem mais maduro, mas essa figura — identificada no ano passado — estava bem mais deteriorada do que a que foi descoberta agora, e o rosto sequer pôde ser reconstruído.

Descoberta significativa

Sobre o local onde as figuras foram encontradas, trata-se das ruínas de uma igreja situada na antiga cidade de Shivta, um sítio arqueológico que fica a uns 40 km ao sul de Be’er Sheva. A localidade foi fundada por volta do século 2 e sobreviveu até o ano de 650, mais ou menos, quando foi abandonada, durante o início do período islâmico na região. Contudo, ninguém sabe ao certo quando, exatamente, o templo foi construído — e, portanto, a idade da representação de Jesus.

Superfície original Superfície original onde o rosto foi identificado (Haaretz/Dror Maayan)

De qualquer maneira, mesmo sem saber há quanto tempo a imagem foi criada, com base na data de fundação de Shivta, sabemos que o desenho é posterior ao século 2 e, sendo assim, foi feito pelos menos 200 anos após a morte de Cristo. Isso significa que a representação provavelmente não guarda semelhança com o Jesus que morreu na cruz.

Ainda assim, a identificação de uma figura tão antiga é algo bastante importante, especialmente porque se trata da primeira imagem de uma cena batismal anterior ao período iconoclasta a ser encontrada em Israel. Isso porque, apesar de representações superantigas de Jesus terem sido encontradas pela região do Mediterrâneo, no Oriente Médio — e na Terra Santa — elas são raramente descobertas, uma vez que muitas foram removidas ou destruídas ao longo dos séculos.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!