Passar a vida de jaleco, trancafiado em um laboratório, com os olhos grudados em microscópios e entre tubos de ensaio, culturas e amostras de fluidos pode não parecer muito empolgante para muita gente. Mas, a verdade é que, ao contrário do que pode parecer, a vida dos cientistas não é tão enfadonha assim e, além de eles também terem seus momentos de diversão, com frequência realizam experimentos incrivelmente bizarros!

De acordo com Katy Evans, do site IFLScience!, recentemente pesquisadores de todo tipo de área e de várias partes do mundo começaram a compartilhar pelo Twitter quais foram as coisas mais esquisitas e mirabolantes que eles tiveram que fazer em nome da Ciência; algumas são simplesmente inacreditáveis. Tudo começou com o tweet abaixo e, em seguida, você pode conferir uma compilação das respostas mais bizarras:

Em tradução livre: “Qual foi a coisa mais estranha que vocês já fizeram pela Ciência? No meu caso, foi fazer enemas (introduzir soluções pelo ânus) de nicotina em lagartas quando eu fazia o meu pós-doutorado. Mas tenho certeza que essa não é a coisa mais esquisita em comparação com o que vocês fizeram.”

Agora, algumas das respostas:

  • Colocar fraldas em avestruzes;
  • Fazer moldes de resina das vaginas de ratos;
  • Criar uma boneca erótica para mosquitos e besuntá-la com feromônios;
  • Carregar 500 retos em decomposição de raposas na bagagem de mão em voo de baixo custo;
  • Transportar 100 aranhas vivas durante uma viagem de avião;
  • Injetar cloreto de potássio em ouriços-do-mar para induzir a liberação de esperma para coleta e posterior purificação de microtúbulos;
  • Aprender a apalpar galinhas com o indicador e saber dizer há quanto tempo elas ovularam;
  • Eletrocutar ouriços-do-mar para forçá-los a ejacular;
  • Fazer snorkel na água de refrigeração de uma usina nuclear;
  • Alimentar suricatos com grilos passados em maionese;
  • Embebedar ratos para depois fazê-los brigar;
  • Secar várias levas de fezes de urso no forno de casa (de aluguel) e separar os insetos do cocô com uma peneira enferrujada debaixo do chuveiro com a ajuda de dois colegas;
  • Persuadir diversas pessoas a pentearem um castor;
  • Depilar vários besouros delicadamente para poder bombardeá-los com raios X em um acelerador de partículas;
  • Prender armaduras em lagostas com supercola;
  • Ensinar o “Jogo da Velha” a algumas abelhas. Infelizmente, os resultados foram inconclusivos.

E a gente aqui, achando que os cientistas não se divertiam...