A preservação da natureza é um assunto cada vez mais relevante em todas as esferas da sociedade. Um grande número de elementos agressores está destruindo o meio ambiente com muita rapidez, e, apesar de todos os avisos da comunidade científica, ainda não começamos a tomar medidas realmente efetivas.

Reprodução/Unsplash/David Clode

Esta questão ganhou mais espaço para discussão nas últimas décadas, mas a caça de animais silvestres é um problema que existe há muito tempo. Diversas espécies já foram extintas e uma infinidade delas está em risco, como os rinocerontes.

Caçador desafortunado

Podemos achar que somos muito espertos, mas os animais também pensam e sempre tentam defender seus interesses. Uma prova disso foi o que aconteceu com um caçador que morreu no Parque Nacional Kruger, na África do Sul. Ele foi vítima de um elefante enfurecido enquanto estava ilegalmente dentro do parque para caçar rinocerontes.

Como os comparsas não conseguiram carregar o corpo, deixaram-no próximo a uma estrada em que existe tráfego de vigilantes. O que eles não esperavam é que leões encontrariam o homem morto, seguiriam seus instintos e se alimentariam. A família da vítima foi avisada do ocorrido pelos quatro colegas que estavam com ele e então informou as autoridades; os sobreviventes foram presos ainda dentro do parque, portando armas e munições.

Reprodução/Unsplash/Jeff Lemond

O corpo foi deixado ao lado da estrada em uma terça-feira, mas apenas na quinta-feira os guardas conseguiram encontrar o crânio do homem e a calça que ele usava. Glenn Philips, um dos diretores do parque, disse em entrevista que “Entrar nesse parque ilegalmente e a pé não é uma atitude sábia. É muito doloroso ver os familiares lamentando sua perda, ainda mais com a recuperação de muito pouco dos restos mortais”.

Reprodução/Unsplash/David Clode

Podemos pensar que tudo não passou de uma sequência natural de fatos, mas o contexto é muito mais complexo. Os caçadores sabem dos riscos aos quais se submetem, mas o fazem pois não têm outras opções para conseguir sustentar a família. Por outro lado, existe um mercado ilegal no qual chifres, unhas e peles de animais silvestres são altamente valorizados, fomentando toda a cadeia de destruição de vidas e da natureza.