Astrônomos da Caltech descobriram recentemente o asteroide com o ano mais curto de que se tem conhecimento. Apesar de muitas rochas estarem localizadas no Cinturão de Asteróides, elas não existem apenas na órbita de Marte e Júpiter. O asteroide 2019 LF6 faz parte da família “Atira”, um grupo de vinte asteroides que estão completamente dentro da órbita da Terra.

A nova descoberta tem cerca de 1 quilômetro de diâmetro e faz a volta completa ao redor do Sol em 151 dias, ficando mais longe que Vênus em alguns momentos e mais perto que Mercúrio em outras.

"Você não encontra asteróides do tamanho de quilômetros com muita frequência atualmente", disse Quanzhi Ye, um estudante de pós-doutorado da Caltech que co-descobriu o objeto com o professor Tom Prince, JPL e George Helou, ambos também no Caltech.

O estudante explica que antigamente, há 30 anos, as pessoas começaram a buscar metodicamente os asteroides e encontraram primeiro os objetos maiores e a maioria deles já foi encontrado, então descobrir este novo asteroide realmente é um grande feito. "O LF6 é muito incomum tanto em órbita quanto em tamanho - sua órbita única explica por que um asteróide tão grande escapou de várias décadas de buscas cuidadosas”, explica Ye.


Esta é a órbita do asteroida 2019 LF6 dentro do Sistema Solar (Fonte: NASA/JPL-Caltech)

 

Esse asteroide foi descoberto como parte do Zwicky Transient Facility, ou ZTF, um instrumento que consegue varrer o céu rapidamente. Isso é crucial para a descoberta de novos objetos do grupo Atira, já que eles só podem ser encontrados na primeira meia hora após o pôr do Sol ou antes do nascer do Sol.

"Ambos os grandes asteroides Atira encontrados pela ZTF orbitam bem fora do plano do Sistema Solar", explicou Prince. "Isso sugere que em algum momento do passado eles foram expulsos do plano do Sistema Solar porque chegaram muito perto de Vênus ou Mercúrio", completa.