Um artigo publicado na revista Endangered Species Research aponta que mais de 1.000 tubarões e arraias se sufocam com o lixo que é descartado no mar. Para identificar como peixes cartilaginosos são mais suscetíveis a sofrerem este tipo de situação, pesquisadores analisaram dados e estudos anteriores, além de também consideram casos reportados no Twitter por pessoas que se depararam com esses animais envoltos em lixo.

Apesar dos resultados serem preocupantes, pesquisadores afirmam que os números devem ser muito maiores, uma vez que poucos estudos focam em sufocamento por plásticos de tubarões e arraias.

Reprodução/ Atualidade - Parlamento Europeu

“Um exemplo analisado no estudo foi de um tubarão-mako com uma rede de pesca enrolada em seu corpo.”, declarou Kristian Parton, autor do artigo. “O tubarão claramente continuou crescendo depois de ter ficado preso ao objeto, então a rede — que estava coberta com cracas — rasgou sua pele e danificou sua espinha.”

Por meio de 47 eventos publicados em mais de 20 artigos científicos, os pesquisadores descobriram que 16 famílias diferentes — abrangendo 34 espécies presentes nas três maiores bacias oceânicas — são fortemente afetadas por objetos de descarte humano. Quase três quartos desses casos envolveram “equipamento de pesca descartado, perdido ou abandonado no ambiente marinho”.

Reprodução/ ONU News

Redes, armadilhas, vasos e outros utensílios pesca perdidos ocupam habitats inteiros, colocando seus moradores em iminente perigo. Ademais, ainda podemos citar os detritos de plástico, os pneus de borracha e as temidas sacolas de mercado que, unidos, formam um grupo letal.

Em uma perspectiva geral, no Oceano Pacífico foram identificadas 49% das ocorrências e no Oceano Atlântico, 46%. Ademais, os relatos do Twitter demonstraram 74 casos de sufocamento em 14 famílias e 26 espécies. E, mais uma vez, os equipamentos de pesca foram os maiores vilões, estando presentes em quase 95% dos relatos.

Reprodução/ The UniPlanet

Entendendo a necessidade de coletar mais informações acerca do assunto e reunir mais relatos, os pesquisadores se uniram ao Shark Trust Record para criar um formulário online no qual qualquer pessoa pode informar casos de sufocamento por plástico desses animais. Caso tenha interesse em colaborar, acesse aqui.