A astronomia é capaz de descobrir coisas até então inimagináveis e, mais uma vez, astrônomos conseguiram nos surpreender e parecem ter identificado um espécime absoluto de buraco negro, com 40 bilhões de vezes a massa do Sol. Isso mesmo, 40 bilhões.

O buraco negro recém identificado está no centro de uma galáxia chamada Holmberg 15A, uma galáxia elíptica supergigante – assim como ele próprio – que está a cerca de 700 milhões de anos-luz de distância. Ela fica no centro de um aglomerado de galáxias, o Abell 85.

O buraco negro é um dos maiores já encontrados e o maior identificado por meio do rastreamento do movimento das estrelas ao seu redor. Essa pesquisa, realizada por medição direta, foi publicada em artigo submetido ao The Astrophysical Journal e aguarda revisão. "Este é o buraco negro mais massivo com uma detecção dinâmica direta no Universo local", escreveram os pesquisadores.

Buraco negro é ainda maior do que o esperado, dizem pesquisadores

O horizonte de eventos do buraco negro identificado é muito maior do que se poderia imaginar. Para se ter uma ideia, o de Plutão é, em média, 39,5 UA do Sol (unidade astronômica). Na massa do Holm 15A (como está sendo chamado), o raio seria em torno de 790 UA. "O SMBH da Holm 15A não é apenas o mais massivo até hoje, é também quatro a nove vezes maior que o esperado, dada a massa estelar protuberante da galáxia e a dispersão da velocidade estelar da galáxia", escreveram os pesquisadores.

Ele se encaixa no modelo de colisão entre duas galáxias do tipo inicial com núcleos esgotados, quando não há muitas estrelas no seu núcleo, baseado no que se espera do número de estrelas nas regiões externas da galáxia.

O estudo deve continuar para tentar descobrir exatamente como o buraco negro se formou.