Na última quinta-feira (5), uma rocha espacial passou a uma distância do nosso planeta menor do que em que muitos satélites de comunicação se encontram em órbita e adivinhe: ninguém viu a aproximação! Por sorte, não se tratava de nenhum cometa ou asteroide colossal e o pedregulho seguiu adiante em suas andanças pelo Sistema Solar sem causar problemas – mas o incidente reforça o alerta que já foi dado por muitos cientistas, de que é apenas uma questão de tempo até que um desses objetos colida conosco.

Visita surpresa

De acordo com Eric Mack, do site C|Net, a rocha espacial da última quinta foi batizada de 2019 RP1 e teve o seu tamanho estimado entre 7 e 17 metros. Segundo o pessoal da NASA, o objeto passou a 37,4 mil quilômetros do nosso planeta – o que, em termos astronômicos, significa que ele passou raspando por nós – e a uma velocidade de 25,9 km/s, o que faz desse asteroide o 2º mais rápido a viajar dentro de uma distância lunar da Terra e o 3º que mais se aproximou do nosso mundo neste ano.

(Fonte: The Watchers / Reprodução)

E como é que ninguém viu o pedregulho – se existem tantos cientistas e astrônomos amadores de olho no céu? Desta vez, a aproximação do 2019 RP1 passou despercebida porque o asteroide veio de uma posição em que era dia no nosso planeta, dificultando a observação, especialmente em se tratando de um objeto pequeno como esses.

Mas não pense que, mesmo sendo de dimensões reduzidas, um asteroide como o 2019 RP1 não poderia causar estragos! Apenas a título de comparação, a rocha especial que desintegrou sobre Chelyabinsk, na Rússia, em 2013, gerou uma onda choque que causou a destruição de milhares de janelas e danos em inúmeras edificações na região, além de deixar mais de mil feridos leves, e só tinha 17 metros de diâmetro.

Asteroide passou pertinho da Terra a quase 26 km/s e ninguém viu via TecMundo