Conhecido por abrigar destinos paradisíacos muito procurados por turistas de todo o mundo, o Nordeste brasileiro desta vez ganhou destaque internacional por causa de um problema ecológico: diversas manchas de óleo começaram a aparecer no litoral da região nas últimas semanas.

Destinos mais conhecidos, como Porto de Galinhas (PE), Baía dos Golfinhos (PE) e Praia da Lagoinha (CE) estão entre os atingidos pelas manchas. Com isso, o incidente já afeta diretamente o turismo. A fauna local também se encontra seriamente prejudicada e os danos ambientais ainda não estão totalmente estimados, preocupando os ambientalistas. O governo brasileiro exigiu uma investigação para que sejam descobertos os responsáveis de forma mais breve possível.

Fonte: Pixabay

A Petrobrás informou que a análise das amostras coletadas identificou que as manchas nas praias são na verdade óleo cru e que não correspondem, portanto, a nenhum dos materiais produzidos e comercializados pela estatal. As hipóteses levantadas até o momento apontam para um possível vazamento acidental ou derramamento causado por navio. Entretanto, ainda não foi possível identificar a origem do óleo. Especula-se também que o material poluente pode ter origem venezuelana, conforme apurado pelo jornal Folha de S. Paulo.

O Ibama divulgou um mapa das praias contaminadas com o material e nele é possível visualizar a imensa faixa de litoral com a área atingida, que se estende do estado do Maranhão até a Bahia. De acordo com o órgão, já foram recolhidas aproximadamente cem toneladas do composto ao longo das últimas semanas.

mapa ibama
Mapa identifica as praias atingidas (Fonte: Ibama)

As equipes trabalham com aviões equipados com radares para auxiliar na limpeza do litoral nordestino. Devido ao movimento das águas, o óleo acaba por encalhar nas praias. Por isso, priorizam a retirada do material da areia para que não retorne ao mar.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sobrevoou o litoral das regiões atingidas nesta segunda-feira (7). Além disso, o presidente Jair Bolsonaro visitou o estado do Sergipe, o mais afetado até o momento, que declarou estado de emergência devido ao aumento no número de manchas de óleo. O governo do estado recomenda à população que evite frequentar as praias afetadas pelo desastre.