Com Marte cada vez mais familiar aos humanos, chegou a hora de a NASA planejar as próximas missões no Sistema Solar. Através do programa Discovery, a agência espacial definiu os passos seguintes, que podem visitar alguns dos mais enigmáticos planetas vizinhos da Terra: Vênus, Júpiter e Netuno.

O programa Discovery foi fundado em 1992 e possui a características de ter missões mais econômicas – ao todo, 20 já foram realizadas. Os 4 novos estudos foram selecionados através do Programa de Descobertas do Discovery e podem se tornar missões reais no fundo caso se provem viáveis. Cada um deles terá 9 meses e US$ 3 milhões para desenvolver o conceito da missão, mas a NASA deverá continuar apenas com 2 ao final da seleção.

Conheça os 4 projetos selecionados:

1. DAVINCI+

Anagrama de Deep Atmosphere Venus Investigation of Noble gases, Chemestry and Imaging Plus (algo como “Investigação de Gases Nobres e Química da Atmosfera Profunda de Vênus e Captação de Imagens Plus”, em tradução livre), o programa pretende analisar a formação da atmosfera venusiana. Os pesquisadores pensam ser possível traçar a sua história e determinar se o planeta já possuiu oceanos.

Os equipamentos devem descer até à superfície de Vênus, capturando dados sobre a composição de sua atmosfera. Para isso, será preciso desenvolver equipamentos que suportem os 460 ºC do planeta mais quente do Sistema Solar e palco de um efeito estufa surpreendente. As câmeras acopladas devem registrar a descida e trazer novas imagens do solo, melhorando também a compreensão do que Vênus é formado.

Vênus (Fonte: Pixabay)

2. Observação dos Vulcões de Io

Outra missão envolveria a lua Io, de Júpiter, a quarta maior do Sistema Solar. Descoberta por em 1610, por Galileu Galilei, ela possui a maior atividade vulcânica de nosso sistema, com temperaturas que atingem até 1.700 ºC – acima das encontradas nos vulcões da Terra. Não se sabe como é sua camada de magma, e isso seria observado nessa missão. Analisar essa intensa atividade irá ajudar a compreender a formação dos corpos celestes rochosos e até mesmo os planetas oceânicos.

Júpiter e Io (Fonte: Pixabay)

3. TRIDENT

Tritão é a maior lua de Netuno e é a única do Sistema Solar a apresentar um movimento retrógrado, isto é, com órbita oposta à rotação do planeta. Trata-se de um satélite interessante, sendo o corpo celeste com a segunda superfície mais jovem de nosso sistema. Ainda assim, é extremamente gelado, com temperaturas que chegam a -245 ºC. Tritão tem potencial para oceano subterrâneo, formação de atmosfera e erupções. Compreender tudo isso mais a fundo ajudará em futuras missões de colonização a potenciais novos planetas habitáveis. A ideia é que apenas um sobrevoo no satélite possa comprovar a teoria do oceano escondido.

Netuno (Fonte: Pixabay)

4. VERITAS

Anagrama de Venus Emissivity, Radio Science, InSAR, Topography and Spectroscopy (algo como “Emissividade de Vênus, Ciência de Rádio, InSar, Topografia e Espectoscopia”, em tradução livre), esta missão pretende compreender como Vênus se desenvolveu tão diferente da Terra. A ideia é criar reconstruções 3D da superfície do planeta, em busca de sinais de vulcanismo e movimentação de placas tectônicas. E com a análise das emissões infravermelhas da superfície, seria possível compreender um pouco mais sobre o planeta.

NASA escolhe Vênus e luas de Júpiter e Netuno como possíveis missões via TecMundo