Sabemos que as pessoas importantes do Egito, quando morriam, eram mumificadas e enterradas em grandes sarcófagos cobertos por gigantes pirâmides. Mas o que aconteceu com o corpo dos plebeus falecidos?

Em julho de 2018, arqueólogos descobriram uma casa funerária antiga em Saqqara, no Egito. De acordo com os pesquisadores, os clientes poderiam escolher uma série de adornos para enfeitar os mortos, como máscaras, frascos de argila, dentre outros produtos que poderiam ser adquiridos.

O local foi descoberto após Hussein e sua equipe terem encontrado um poço esculpido em uma rocha. Apesar de estar cheio de detritos e areia, o pesquisador resolveu olhar mais a fundo o local e acabou encontrando uma "oficina de mumificação" para as pessoas comuns daquela época.

De acordo com Ramadan Hussein, egiptólogo da Universidade de Tübingen, na Alemanha: "as evidências que descobrimos mostram que os embalsamadores tinham um senso comercial muito bom".

Casa funerária antiga contava com diversos itens para Casa funerária antiga contava com diversos itens para "enfeitar" os mortos. (Fonte: Smithsonian Magazine / Divulgação)

Como funcionava a mumificação?

Após "partir dessa para uma melhor", os órgãos do falecido eram colocados em frascos, e o restante do corpo era posto para secar com sais. Após um tempo secando, recebia um banho de óleos e era envolto em linho, acompanhado de alguns amuletos para protegê-lo na sua passagem para o outro mundo.

O corpo mumificado era então colocado em um túmulo com os seus pertences pessoais ou então em vasos canópicos. Os egípcios acreditavam que, posteriormente, o espírito voltaria para o corpo e por isso eles precisavam estar bem conservados.